Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Maduro: Venezuela fornecerá 1 milhão de barris de petróleo à China 'custe o que custar'

© Sputnik / Sergei Guneev / Abrir o banco de imagensPresidente da Venezuela, Nicolás Maduro, na sessão plenária do primeiro Fórum Internacional sobre Eficiência Energética e Desenvolvimento de Energia "Russian Energy Week"
Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, na sessão plenária do primeiro Fórum Internacional sobre Eficiência Energética e Desenvolvimento de Energia Russian Energy Week - Sputnik Brasil
Nos siga no
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, declarou que o país vai enviar um milhão de barris de petróleo diários à China mesmo que "chova, faça sol ou haja relâmpagos".

"Vamos chegar a um milhão de barris diários para a China, quer chova, quer faça sol ou relâmpagos […] custe o que custar, temos que investir", disse Maduro durante um encontro com empresários venezuelanos e chineses.

O líder ressaltou que na Faixa do Orinoco, a maior reserva de petróleo do mundo, "está o petróleo que a China precisa para seu desenvolvimento nos próximos 50 ou 100 anos".

Nicolás Maduro, presidente venezuelano, em uma noite de homenagem a Hugo Chávez em Moscou, no jardim Ermitage - Sputnik Brasil
Maduro rejeita visão de Pompeo sobre presença da China na América Latina
Atualmente, a Venezuela fornece cerca de 640.000 barris por dia à China, de acordo com números não oficiais.

Maduro chamou pela primeira vez a aumentar a quantidade de petróleo fornecido à China durante uma coletiva de imprensa em 18 de setembro, ao regressar do país asiático.

Durante a visita, o presidente venezuelano se encontrou com seu homólogo chinês e informou que Pequim tinha aprovado um crédito de 5 bilhões de dólares à Venezuela, mas não especificou as condições do pagamento.

Refinaria de petróleo (imagem referencial) - Sputnik Brasil
EUA não conseguirão cortar nossas exportações de petróleo, diz autoridade do Irã
Vale destacar que a proposta de aumentar o volume de petróleo exportado para a China surge quando a estatal Petróleos de Venezuela S.A (PDVSA) tem os níveis mais baixos de produção nos últimos 10 anos.

A queda da produção de petróleo na Venezuela se agravou devido ao colapso dos preços deste hidrocarboneto desde o fim de 2014. Apesar de os preços terem aumentado, a Venezuela está passando por uma das maiores crises de sua principal indústria, da qual dependem 96% das receitas do Estado.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала