Analista enumera 5 objetivos da nova estratégia norte-americana na Síria

© AP Photo / Arab 24 networkPatrulha dos EUA na Síria
Patrulha dos EUA na Síria - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A mídia informou que a administração de Donald Trump está desenvolvendo uma nova estratégia de ação na Síria envolvendo a aplicação de sanções contra empresas da Rússia e Irã que estão envolvidas na reconstrução da Síria. O cientista político russo Vladimir Bruter explicou o que está por trás dessa iniciativa.

Anteriormente, o canal norte-americano NBC que a estratégia dos EUA inclui impedir a recuperação de áreas onde os contingentes iranianos e russos estão presentes. Washington também tenciona impor sanções a empresas russas e iranianas que trabalham para reconstruir a Síria.

Bandeira dos EUA - Sputnik Brasil
EUA podem vir a punir empresas iranianas e russas que ajudam Síria, diz mídia americana
O cientista político Vladimir Bruter, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, enumerou os objetivos dessa estratégia.

Segundo o especialista, os EUA vão continuar fazendo pressão contra a Rússia, sempre e em todas as direções possíveis para eles, não sendo a Síria uma exceção, para atingir uma série de objetivos.

Primeiro, os EUA aumentam pressão contra a Rússia para lhe dificultar a ação. Segundo, eles criam obstáculos ao fortalecimento das posições do presidente sírio Bashar Assad e da influência iraniana na Síria.

"O terceiro objetivo é que, sendo a restauração da Síria uma coisa cara, e não é um segredo que a Rússia gostaria que os países ocidentais se juntassem a esse processo, os EUA fazem tudo para impedi-lo", explicou o analista.

Refinaria de petróleo (imagem referencial) - Sputnik Brasil
EUA não conseguirão cortar nossas exportações de petróleo, diz autoridade do Irã
O quarto objetivo é Washington tentar manter as tensões internas na Síria e apoiar os grupos que se apresentam contra Assad.

"A última razão é que essas medidas fazem parte do programa anti-iraniano da Casa Branca que, evidentemente, vai se tornar mais amplo. Não é coincidência que há vários dias foi declarado que as exportações de petróleo iraniano devem ser cortadas para zero. É evidente que, junto com a pressão na direção síria, isso deveria criar problemas para o Irã, pelo menos Washington acredita nisso", concluiu o analista.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала