ESA compartilha FOTO de 'objeto extraterrestre' proveniente do asteroide Itokawa

Nos siga noTelegram
A Agência Espacial Europeia (ESA) publicou nesta quarta-feira (1), em seu site uma imagem microscópica de um dos 1.500 grãos de rocha que a sonda espacial japonesa Hayabusa coletou no asteroide Itokawa e trouxe para a Terra.

A expedição terminou em 2010, mas desde então os cientistas mostraram ao público somente imagens captadas perto do próprio corpo celeste.

Asteroide binário 2017 YE5 (concepção artística) - Sputnik Brasil
NASA capta FOTOS de raríssimo asteroide perigoso para Terra
O comunicado que acompanha a imagem qualifica o grão como "objeto extraterrestre", mostrando os seus elementos afiados debaixo das lentes do microscópio em um suporte.

No entanto, a agência não forneceu detalhes sobre sua composição química ou propriedades físicas, que estão sendo estudadas em um laboratório no Centro Europeu de Investigação e Tecnologia Espaciais, na Holanda.

​Segundo detalhou o pesquisador Fabrice Cipriani em uma entrevista, também publicada pela ESA, o método que sua equipe aplica em relação a esta e outras amostras disponíveis do asteroide evita sua destruição. Os cientistas colocam as amostras em uma câmara onde estas são expostas a uma simulação do vento solar, ou seja, são bombardeados com elétrons.

A sonda Hayabusa foi lançada pela Agência de Exploração Aeroespacial do Japão em maio de 2003 e, passados dois anos e meia, atingiu sua meta. Foi a primeira missão a trazer fragmentos de um asteroide para a Terra.

Imagem de dinossauro - Sputnik Brasil
Por que poucas aves sobreviveram à queda de asteroide que extinguiu dinossauros?
Uma análise prévia dos grãos obtidos pela sonda do asteroide Itokawa mostra que nem sempre têm as mesmas dimensões e formas que conhecemos. Há 4,5 milhões de anos eram aproximadamente 40 vezes maiores quando se consolidaram. 

A segunda missão japonesa para coletar amostras de rochas espaciais posicionou sua base de operações na semana passada a 20 quilômetros de outro asteroide, o Ryugu, que orbita neste momento a cerca de 280 milhões de quilômetros da Terra. O mundo científico aguarda o retorno desta expedição não tripulada até 2020.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала