- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Campo registra menos empregos e mais agrotóxicos, diz IBGE

© AP Photo / Andre PennerExportações do agronegócio somaram US$ 96 bilhões em 2017
Exportações do agronegócio somaram US$ 96 bilhões em 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O número de trabalhadores no campo diminuiu e mais produtores rurais estão utilizando agrotóxicos. Os dados são da comparação entre os Censos Agropecuários de 2006 e 2017, do IBGE.

Os números do Censo de 2017 começaram a ser divulgados pelo IBGE, mas são preliminares e poderão ser revisados.

Hoje, o Brasil tem 15.036.978 pessoas trabalhando em atividades agropecuárias, um número 9,2% menor na comparação com 2006. Ou seja, foram eliminados cerca 1,5 milhão de empregos.

Ao mesmo tempo, aumentou a mecanização no campo. O número de tratores registrados em propriedades rurais aumentou 49,7% no período e chegou a 1,22 milhão de unidades. 

Aumentou, também, o número de propriedades rurais que usam agrotóxicos. Das 5.072.152 propriedades rurais existentes no país, 33% utilizam os produtos agroquímicos — um aumento de 20,4% em relação a 2006.

O apicultor Elso Gerônimo da Silva viu ruir uma de suas principais fontes de renda pelo efeito dos agrotóxicos. - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Campeão mundial de agrotóxicos, Brasil prejudica pequeno produtor e população (EXCLUSIVO)
Das 5.072.152 propriedades rurais existentes no país, cerca de metade delas têm 10 hectares ou menos. Este grupo de pequenas propriedades detêm 2,28% da área total destinada a estabelecimentos agropecuários.

Enquanto isso, existem 50.865 propriedades rurais, cerca de 1% do total, que confinam dentro de suas cercas 47,52% de todas as terras utilizadas para a agropecuária.

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), Gilmar Mauro acredita que os dados mostram um país com renda e terras "altamente concentrada" e que continua a "aumentar o processo de concentração de riquezas".

"Nós nascemos como colônia, exportando produtos agrícolas e minerais desde o famoso e malfadado descobrimento. E continuamos dessa forma. Mas há um agravamento dessa situação, principalmente a partir da década de 1980 e da crise econômica brasileira, e do grande déficit nas contas gerais do Brasil, se apostou bastante na exportação de produtos agrícolas como forma de obter superávit, para equilibrar todo o balanço de pagamentos", diz Mauro à Sputnik Brasil.

Já o vice-presidente da Sociedade Nacional de Agricultura, Hélio Sirimarco, ressalta que as informações do Censo Agropecuário de 2017 mostram um "aumento na produtividade" e se diz temeroso do possível impacto no câmbio que as eleições de outubro podem trazer.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала