Israel confirma interceptação de navio europeu que tentou romper bloqueio de Gaza

© AP Photo / Ariel Schalit Efetivos da Marinha de Israel durante treinamentos, foto de arquivo
Efetivos da Marinha de Israel durante treinamentos, foto de arquivo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Militares israelenses confirmaram neste domingo terem interceptado um navio europeu com ativistas pró-palestinos que tentava romper o bloqueio da Faixa de Gaza no Mar Mediterrâneo.

No início do dia, o grupo ativista da Flotilha da Liberdade disse que o barco al-Awda ("Devolução"), sob a bandeira norueguesa e que transportava suprimentos médicos, foi apreendido, acrescentando que o navio recebeu um aviso da Marinha antes da interceptação.

"A Marinha israelense interceptou um navio que seguia da Europa com a intenção de violar um bloqueio naval legal da Faixa de Gaza… O navio está sendo transferido para o porto de Ashdod", informou o Exército israelense em um comunicado à imprensa.

A Marinha explicou aos passageiros que eles estavam violando o bloqueio naval legal, e que qualquer carga humanitária pode ser transportada para Gaza através do porto de Ashdod.

Navio Saar 4.5 da Marinha de Israel durante treinamento no mar Mediterrâneo (imagem ilustrativa) - Sputnik Brasil
Marinha de Israel intercepta navio que tentava romper bloqueio da Faixa de Gaza (FOTO)
Segundo o grupo ativista, há 22 pessoas a bordo do al-Awda, incluindo a tripulação, ativistas de direitos humanos e jornalistas de 16 países, além de suprimentos médicos no valor de 13 mil euros.

Espera-se que outro navio, que faz parte da ação de solidariedade aos palestinos, chamado de iate Freedom, tente invadir a Faixa de Gaza sob a bandeira da Suécia nos próximos dois dias.

Israel justifica o bloqueio ao enclave palestino com a necessidade de impedir o fornecimento de armas aos militantes de grupos palestinos radicais. Organizações de direitos humanos repetidamente enviam navios com ajuda humanitária e delegações de solidariedade para as margens da Faixa de Gaza.

Na maioria dos casos, as interceptações foram realizadas sem o uso da força. Uma exceção foi a detenção, em 2010, de uma caravana de seis embarcações que transportaram centenas de ativistas e milhares de toneladas de vários carregamentos para Gaza. Nesse incidente, nove cidadãos turcos, que resistiram ferozmente ao grupo de embarque, foram mortos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала