Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Venezuela está disposta a 'defender soberania e independência de Nicarágua'

© REUTERS / Oswaldo Rivas Manifestações contra o governo de Daniel Ortega na Nicarágua.
Manifestações contra o governo de Daniel Ortega na Nicarágua. - Sputnik Brasil
Nos siga no
Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela, avisou da capital nicaraguense, Manágua, que o presidente Nicolás Maduro está disposto a apoiar a Nicarágua em defesa de sua soberania se for necessário.

"Se [nós] o povo bolivariano, os revolucionários da Venezuela, tivéssemos que vir à Nicarágua para defender a soberania e a independência nicaraguense, e oferecer nosso sangue pela Nicarágua, iríamos como Sandino, até à montanha de Nueva Segovia", expressou Arreaza.

A Russian-made Sukhoi Su-30MKV fighter jet of the Venezuelan Air Force flies over a Venezuelan flag tied to missile launchers, during the Escudo Soberano 2015 (Sovereign Shield 2015) military exercise in San Carlos del Meta in the state of Apure - Sputnik Brasil
Venezuela movimenta tropas, 10 países repreendem e Brasil é último a saber
O ministro das Relações Exteriores da Venezuela fez essas declarações durante a comemoração dos 39 anos do triunfo da Revolução Sandinista em Nicarágua, país para o qual viajou em 19 de julho.

O socialismo, enfatizou Arreaza, é o caminho certo, e assegurou que a Venezuela passou por uma situação semelhante da qual a Nicarágua enfrenta desde abril deste ano.

"Caros compatriotas, dizemos-lhes porque vivemos essa mesma experiência que vocês vivem nos últimos meses, nós as chamamos de guarimbas [termo para protesto popular], agressões, que com o apoio e interferência dos EUA queriam derrubar o governo do presidente Maduro, mas aplicamos o conceito de paciência estratégica e obtivemos a paz e o diálogo", destacou Arreaza.

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela - Sputnik Brasil
Nicolás Maduro: turnê latino-americana de Pence foi um fracasso
A Nicarágua está passando por uma grave crise desde o último dia 18 de abril, quando começou uma onda de protestos contra o Governo que levaram a confrontos entre manifestantes e forças de segurança.

No início de julho, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos informou que 264 pessoas morreram desde o início dos protestos, enquanto a organização não governamental Associação Nicaraguense pró-Direitos Humanos, afirma que o número de mortes chegou a 351.

O governo de Ortega atribui o derramamento de sangue a setores violentos da oposição que tentam executar um "golpe suave" contra eles.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала