Embaixador: Reino Unido não tem bases para acusar Rússia de ter envenenado Skripal

© AP PhotoPoliciais investigando o caso do ex-espião russo Sergei Skripal, em Salisbury (Inglaterra), 13 de março de 2018
Policiais investigando o caso do ex-espião russo Sergei Skripal, em Salisbury (Inglaterra), 13 de março de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os investigadores britânicos não têm bases para acusar a Rússia de ter envenenado o ex-agente Sergei Skripal e sua filha, Yulia, afirmou o embaixador da Rússia no Reino Unido, Aleksandr Yakovenko.

Hoje de manhã, os investigadores do Reino Unido declararam ter identificado os suspeitos do envenenamento da família Skripal com a substância A-234 (também conhecida como "Novichok").

Especialistas trabalhando depois de receber confirmação de que duas pessoas tinham sido envenenadas com agente nervoso Novichok, Amesbury, Reino Unido - Sputnik Brasil
Investigadores britânicos teriam identificado atacantes que usaram gás Novichok
Comentando as notícias recentes, o embaixador afirmou que a Rússia quer ouvir os nomes dos suspeitos de envenenamento da parte das autoridades britânicas, já que, por enquanto, há apenas versões da mídia.

"São relatos da mídia, infelizmente, a parte britânica não fez nenhuma declaração oficial. […] Muitas versões nos jornais não são confirmadas a nível oficial", afirmou Yakovenko.

Segundo Yakovenko, a diplomacia russa efetuou encontros com funcionários da chancelaria britânica para discutir o caso Skripal quando Boris Johnson era ministro do Exterior, mas as negociações não deram resultado.

Embaixada russa no Reino Unido - Sputnik Brasil
Embaixada Russa: Investigação sobre uso de agente nervoso em Amesbury não é transparente
Yakovenko também disse que pretende se encontrar com o novo ministro do Exterior britânico, Jeremy Hunt, para abordar as relações bilaterais entre os dois países e o caso Skripal. Com Boris Johnson ele não teve tal encontro.

O diplomata russo acrescentou que Moscou tenciona exercer pressão política sobre Londres no que diz respeito à investigação do envenenamento de Skripal.

"Para nós, [o caso Skripal] é um assunto político. Naturalmente, vamos exercer pressão, inclusive por meio de pedidos oficiais e diálogo com a parte britânica", ressaltou.

Em 4 de julho, duas pessoas foram hospitalizadas após "terem sido expostas a uma substância desconhecida" na cidade britânica de Amesbury. Uma das vítimas morreu, o homem recuperou a consciência. A polícia britânica declarou que ambos foram envenenados com a mesma substância que o ex-agente Sergei Skripal e sua filha.

Amesbury fica perto da cidade de Salisbury onde no início de março Sergei e Yulia Skripal foram encontrados inconscientes. Londres acusou Moscou de ter organizado o ataque usando alegadamente o agente nervoso "Novichok" (substância A-234). A Rússia nega seu envolvimento no acontecido. Moscou sugeriu várias vezes a Londres realizar uma investigação conjunta do incidente, mas Londres ignorou a iniciativa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала