National Interest desvenda capacidades de combate do porta-aviões mais caro do mundo

Nos siga noTelegram
A revista norte-americana National Interest revelou detalhes sobre armamento e capacidades de combate do novo porta-aviões USS Gerald Ford.

De acordo com a edição, uma das principais vantagens do USS Gerald Ford em comparação a porta-aviões obsoletos da classe Nimitz são dois reatores nucleares AB1, capazes de gerar 600 МВт de energia, sendo esta quantidade suficiente para assegurar o abastecimento de eletricidade de uma cidade inteira.

Bombardeiros estratégicos russos Tu-22M3 - Sputnik Brasil
'Assassino de porta-aviões': como Tu-22M3 modernizado pode ameaçar a Marinha dos EUA?
Os potentes reatores tornaram possível instalação de catapulta eletromagnética EMALS e de cabo de desaceleração AAG, que são mais leves e exigem menos espaço, bem como asseguram decolagem e aterrissagem mais rápidas em comparação a análogos antigos, segundo The National Interest.

Além disso, o USS Ford é equipado com o sistema de radar mais moderno de toda a Marinha dos EUA – Dual Band Radar (DBR), que consiste em dois radares, AN/SPY-3 e S-Band Volume Surveillance Radar. O sistema é capaz de efetuar visão tridimensional, bem como detectar e interceptar alvos no azimute de 0° a 360°.

Em se tratando de armamento, o porta-aviões é equipado com dois lançadores do tipo Mk 29, contendo cada um oito mísseis ESSM. Além disso, o navio conta com dois sistemas de defesa antiaérea RAM, quatro sistemas Phalanx para proteção dispersa contra aviões, mísseis e embarcações de pequeno porte.

Os reatores atômicos potentes fazem com que este porta-aviões possua capacidades quase infinitas no que se refere a instalações de quaisquer tipos de armamentos, inclusive a laser, assinalou The National Interest.

USS Gerald Ford - Sputnik Brasil
Novíssimo porta-aviões dos EUA sofre mais uma falha e não estará pronto antes de 2022
A asa do USS Ford é seu principal meio para efetuar missões tanto ofensivas como defensivas. A bordo do porta-aviões estão posicionadas duas esquadrilhas de caças F-35C, bem como duas esquadrilhas de caças-bombardeiros F/A-18E/F Super Hornet, cinco aviões de luta radioeletrônica EA-18 Growler, duas aeronaves de transporte Grumman C-2 Greyhound e oito helicópteros MH-60S Seahawk.

Em breve, ao invés dos F/A-18E/F Super Hornet, no navio podem ser posicionados aviões de sexta geração, acrescentou National Interest.

Os Estados Unidos começaram a construir o novo porta-aviões USS Gerald Ford em 2009. Desde então, o custo do projeto aumentou 22% alcançando US$ 12,9 bilhões (R$ 48,3 bilhões). Assim, o porta-aviões se tornou o mais caro na história da Marinha norte-americana.

Vale destacar que apesar de suas potentes características, o porta-aviões norte-americano vem enfrentando falhas com muita frequência. Planejava-se que o USS Gerald Ford começasse a servir na Marinha dos EUA em 2019, mas, devido a numerosos problemas, o prazo foi adiado para 2022.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала