- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Temer diz que foi 'iluminado' por Deus com fim da greve dos caminhoneiros

© Sputnik / Vitaliy Belousov / Abrir o banco de imagensBrazilian President Michel Temer arrives in Moscow
Brazilian President Michel Temer arrives in Moscow - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente Michel Temer participou de uma cerimônia religiosa nesta quinta-feira (31), em Brasília, e afirmou que foi "iluminado" com a resolução da crise.

"Graças a Deus, estamos encerrando a greve dos caminhoneiros por meio de uma atitude minha que tem sido criticada, o diálogo", declarou Temer. 

De acordo com ele, não houve uso da força por parte do Estado brasileiro durante a greve dos caminhoneiros, apesar de diversos relatos pelo país terem denunciado repressão às manifestações de grevistas. 

Moraes responde as perguntas dos senadores e cidadãos na CCJ - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Greve dos caminhoneiros: multa cobrada de empresas sobe para R$ 339 milhões
"Não uso a força, a autoridade. Uso o diálogo, a palavra, eu e o governo todo, conectados com os estados e municípios […] Não houve uma só violência pelo Estado brasileiro. A única morte ocorreu por uma atividade política, um caminhoneiro foi atingido por um tijolo", afirmou Temer.

O presidente afirmou ter sido "iluminado" por Deus com a resolução da greve. 

"Fui iluminado por Deus, que disse vai lá no templo da Assembleia comemorar a pacificação do país. Quero pedir que todos vocês crendo como creio na força do diálogo e da palavra, que possam levar isso a todos os templos, se puderem levar uma palavra de paz, de harmonia, respeito mútuo, culto da família e da unidade", disse. 

A Associação Brasileira de Caminhoneiros, por sua vez, havia se pronunciado anteriormente, culpando o presidente Temer tanto pelo caos instaurado nas rodovias do país, quanto pelas ameaças de uso da força contra os grevistas com o anúncio do decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em todo o território nacional.

"É lamentável saber que mesmo após tanto atraso, o presidente da República preferiu ameaçar os caminhoneiros por meio do uso das forças de segurança ao invés de atender às necessidades da categoria. Sendo assim, nos resta pedir a todos os companheiros que desobstruam as rodovias e respeitem o decreto presidencial", diz a nota publicada pelo presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes, em 25 de maio. 

Nesta quinta-feira, apenas no Porto de Santos foram relatados protestos dos caminhoneiros, enquanto no resto do país os bloqueios foram encerrados e o abastecimento se estabilizou. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала