'Plano B': Teerã dá uma semana para a Europa salvar acordo nuclear

© AFP 2022 / HANS PUNZ / APASecretário Geral do Serviço de Ação Externa da União Européia (SEAE) Helga Schmid, Diretora Geral da Agência Internacional de Energia Atômica AIEA, Yukiya Amano e deputado político do Ministério das Relações Exteriores do Irã Abbas Araghchi participam de uma reunião especial da Comissão Conjunta de Partes ao JCPOA sobre o acordo nuclear do Irã no palácio Coburg em Viena, Áustria, em 25 de maio de 2018
Secretário Geral do Serviço de Ação Externa da União Européia (SEAE) Helga Schmid, Diretora Geral da Agência Internacional de Energia Atômica AIEA, Yukiya Amano e deputado político do Ministério das Relações Exteriores do Irã Abbas Araghchi participam de uma reunião especial da Comissão Conjunta de Partes ao JCPOA sobre o acordo nuclear do Irã no palácio Coburg em Viena, Áustria, em 25 de maio de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os signatários da Europa Ocidental para o acordo nuclear iraniano têm até a próxima sexta-feira para fornecer propostas concretas a Teerã para compensar as consequências da decisão dos EUA de retirar o Plano de Ação Global Conjunto (JCPOA), disse uma importante autoridade iraniana.

"Para ser honesto com você, não estamos confiantes", disse o funcionário, falando aos repórteres antes do início das negociações de sexta-feira com representantes do Irã, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha sobre como Teerã poderia mitigar os problemas financeiros e econômicos da retirada de Washington do JCPOA.

"Esperamos que o pacote (econômico) nos seja entregue até o final de maio", observou o funcionário, segundo a Reuters. "Lamento dizer que ainda não vimos o Plano B. O Plano B acabou de começar a ser descoberto".

Heiko Maas - Sputnik Brasil
EUA e Europa estão longe de consenso sobre acordo nuclear com o Irã
Segundo o funcionário, as medidas europeias para encorajar Teerã a permanecer comprometida com o acordo nuclear precisariam incluir garantias relativas à continuação das exportações iranianas de petróleo, bem como garantias sobre o acesso ao sistema internacional de pagamentos bancários SWIFT.

Mais cedo, o vice-ministro das Relações Exteriores do Irã, Abbas Araqchi, confirmou que Teerã ainda tinha que tomar uma decisão sobre o JCPOA. "Os países europeus deveriam nos dizer como poderiam garantir os interesses do Irã no JCPOA na ausência dos Estados Unidos e com o retorno das sanções do país", disse ele.

O presidente Donald Trump retirou unilateralmente os Estados Unidos do JCPOA no dia 8 de maio e delineou os planos para restabelecer as sanções que haviam sido levantadas sob o acordo nuclear. Esta semana, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, prometeu aplicar as "sanções mais pesadas da história" contra o Irã e forçar o país a lutar para "manter sua economia viva".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала