Cidade flutuante na Polinésia terá tecnologia verde e criptomoeda própria

© AFP 2022 / GREGORY BOISSYUm barco perto do atol de Toau, a cerca de 400 quilômetros do Taiti, Polinésia Francesa, 14 de outubro de 2015
Um barco perto do atol de Toau, a cerca de 400 quilômetros do Taiti, Polinésia Francesa, 14 de outubro de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Dizem que a maré alta levanta todos os barcos, mas com a mudança climática, muitas pessoas estão se perguntando se isso poderia também ser aplicado a cidades. Nas águas do Pacífico Sul está sendo construída uma verdadeira cidade flutuante.

Supostamente, a partir de 2022, entre 250 a 300 pessoas poderão viver em uma cidade flutuante na costa do Taiti, sem medo dos tufões. Esse é o sonho dos autores da ideia e investidores do The Seasteading Institute, que estão projetando uma ilha flutuante: um paraíso libertário completo com sua própria criptomoeda, a Vayron.

Svart - Sputnik Brasil
Hotel inspirado em nave alienígena será construído no Ártico (FOTOS)
O projeto deve custar US$ 50 milhões (R$ 156 milhões), segundo o Daily Mail, e está sendo financiado por Peter Thiel, fundador do PayPal. Ele terá estruturas com telhados verdes cobertos de vegetação e será construído com materiais provenientes do Pacífico Sul, metal reciclado e plástico.

Em 13 de janeiro de 2017, o governo da Polinésia Francesa, uma província ultramarina da França, reuniu-se em São Francisco com representantes do Projeto Ilha Flutuante para assinar um memorando de intenções sobre o desenvolvimento do projeto. 

O acordo "obriga o Seasteading Institute a realizar uma análise econômica para demonstrar os benefícios econômicos para a Polinésia Francesa, assim como uma avaliação ambiental para garantir a preservação do oceano e do fundo do mar", segundo o website do instituto. 

Segundo Marc Collins, embaixador não-oficial do projeto no Taiti, o projeto de ilhas flutuantes respeitará os padrões ambientais definidos pela Polinésia Francesa, não havendo interesse no recurso à mineração terrestre ou oceânica.

Além disso, o instituto prevê outros benefícios para o projeto.

"Acreditamos que poderia haver um mercado em nossa cidade flutuante para residências, turismo, aquicultura, um parque empresarial, um instituto de pesquisa e uma usina para vender energia e água limpa à nação anfitriã", informa o website do instituto.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала