Assad: países que atacam Síria apoiam terroristas

© Sputnik / Assessoria de imprensa de Bashar AssadPresidente da Síria, Bashar Assad
Presidente da Síria, Bashar Assad - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O grupo de países que atacou a Síria nas últimas semanas apoiam os radicais islâmicos desde o início da guerra no Iraque e não combatem o terrorismo, disse o presidente sírio, Bashar Assad, durante uma reunião com o vice-ministro das Relações Exteriores do Irã, Husein Yaber Ansari.

"Os Estados, e grupos que atuam como seus instrumentos nos países da região, apoiaram terroristas desde o primeiro dia da guerra na Síria. A sua recente agressão direta não vai impedir o combate contra o terrorismo, que vai continuar até que todas as terras sírias sejam libertadas", declarou Assad, segundo sua assessoria de imprensa.

Ministro das Relações Exteriores da Federação da Rússia, Sergei Lavrov, durante cúpula da Organização do Acordo de Segurança Coletiva em Minsk, em 30 de novembro de 2017 - Sputnik Brasil
Lavrov: EUA, França e Reino Unido bombardearam negociações de Genebra ao atacar Síria
Já o ministro iraniano afirmou que o ataque dos EUA, França e Reino Unido foi motivado pelo sucesso do exército sírio e de seus aliados na luta contra o terrorismo e pelo medo desses países de que esses êxitos fossem multiplicados.

Em meados de abril, os Estados Unidos, o Reino Unido e a França atacaram várias instalações sírias, supostamente envolvidas em um programa clandestino de armas químicas.

De acordo com o Pentágono, o ataque foi uma retaliação ao alegado uso de armamentos químicos na cidade de Douma.

O ministério da Defesa da Rússia acredita que os EUA e seus aliados dispararam de cem mísseis de cruzeiro em seu ataque conta a Síria. A maioria dos mísseis foi interceptada por sistemas de defesa aérea local, que opera com os equipamentos russos de modelo S-125, S-200, Buk, Kvadrat, Osa e Strela.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала