Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Kadyrov propõe referendo na Rússia para dar novo mandato a Putin

© RIA Novosti / Abrir o banco de imagensLíder da Chechênia Ramzan Kadyrov
Líder da Chechênia Ramzan Kadyrov - Sputnik Brasil
Nos siga no
O líder checheno Ramzan Kadyrov está pedindo mudanças na Constituição russa que permitiriam a Vladimir Putin ser reeleito presidente depois que seu atual mandato expirar em 2024.

"Enquanto nosso presidente estiver em boa saúde, não devemos pensar em nenhum outro chefe de Estado. Esta é a minha opinião pessoal e não estou mudando isso. Neste momento, não há alternativa para Putin", disse Kadyrov.

O chefe da República da Chechênia chegou a dizer que a norma constitucional que proíbe que a mesma pessoa seja eleita presidente da Federação Russa por mais de dois mandatos consecutivos deve ser cancelada.

Ele observou que muitas outras nações se dão bem sem esse tipo de restrição. "Por que a China pode fazer isso e a Alemanha pode fazer isso, mas não nós? Se isso é do interesse das pessoas, por que não podemos fazer mudanças na lei?", questionou.

"Não devemos nem perguntar a Putin sobre isso! O povo, o Conselho da Federação, a Duma do Estado, outras instituições do Estado, devem iniciar e aprovar essa decisão, coletar assinaturas e realizar um referendo nacional", continuou. "Estou confiante de que todos apoiariam isso".

Líder da Chechênia Ramzan Kadyrov - Sputnik Brasil
Putin defende os muçulmanos como prometeu, elogia o líder checheno Kadyrov

Atualmente, a Constituição russa permite que a mesma pessoa corra para a presidência por um número ilimitado de mandatos com uma condição — não pode haver mais do que dois mandatos consecutivos. Em 1998, a questão foi levada ao Tribunal Constitucional da Rússia, que determinou que o terceiro e o quarto mandatos seriam legais se houvesse um intervalo entre o segundo e terceiro termos.

É por isso que Putin não pôde candidatar-se à presidência em 2008 depois de vencer em 2000 e 2004. Em 2012, a condição relativa a termos consecutivos não era aplicável, então Putin correu novamente e venceu.

Ativistas russos da oposição questionaram repetidamente a legalidade de uma pessoa que detém o poder por mais de dois mandatos, mesmo que esses termos não sejam consecutivos, o que levou a vários processos judiciais que terminaram com a rejeição dos processos com base na decisão de 1998.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала