Enviado russo na ONU: radicais têm ordens de iniciar ofensiva na Síria após EUA atacarem

© AFP 2022 / Amer AlmohibanyFumaça após um alegado ataque aéreo nos bairros controlados por rebeldes no Leste de Damasco, na Síria
Fumaça após um alegado ataque aéreo nos bairros controlados por rebeldes no Leste de Damasco, na Síria - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os líderes dos grupos radicais na Síria são ordenados a começar ofensiva depois de possível ataque dos EUA ao país, declarou representante permanente da Rússia na ONU, Vasily Nebenzya.

"Sabemos exatamente que os líderes dos grupos radicais são ordenados a começar ofensiva depois de possível ação de força [dos EUA]. Será que mais uma etapa de caos está sendo empreendida apenas para isso? O pretexto seria o suposto uso de substâncias químicas na cidade síria de Douma em 7 de abril", afirmou representante russo.

Navios norte-americanos no oceano Índico - Sputnik Brasil
Analista avalia possíveis medidas de retaliação da Rússia em caso de ataque contra Síria
Embaixador russo na ONU destacou também que podem ser observados preparativos perigosos para ação de força contra Estado soberano sírio.

Para Nebenzya, Washington tomou rumo para destorcer cenário militar em torno da Síria.

"Não se pode permitir isso. Tal desenvolvimento dos acontecimentos pode resultar em consequências graves para segurança global", frisou embaixador russo na ONU, acrescentando que será necessário responder pelo desenvolvimento dos acontecimentos desagradáveis, "bem como pelas intervenções prévias".

Vasily Nebenzya também declarou que a Rússia apela às autoridades dos EUA e seus aliados, inclusive França e Reino Unido, que "imediatamente tomem juízo, e voltem ao campo do direito internacional e não levem o mundo para linha perigosa".

O embaixador russo, além disso, destacou que o comportamento dos EUA quanto a Douma não é digno para um membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

Militantes do Exército Livre da Síria em Dabiq, foto de arquivo - Sputnik Brasil
Oposição síria retomará ofensiva para conquistar novos territórios caso EUA ataquem
Mais cedo, o presidente estadunidense, Donald Trump, prometeu tomar uma decisão quanto às ações contra Síria em resposta ao suposto ataque químico. As autoridades sírias negam quaisquer acusações vindas do Oriente.

A chancelaria Rússia afirmou que as desinformações sobre o uso das armas químicas pelas tropas sírias são destinadas a justificar possíveis ataques do exterior.

Vale destacar que o Estado-Maior das Forças Armadas russas, ainda em 13 de março, avisou que uma provocação com armas químicas estava sendo encenada por radicais em Ghouta Oriental.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала