'É inegável que a Polônia participou do Holocausto', diz presidente israelense

© AFP 2022 / JANEK SKARZYNSKI Poland's President Andrzej Duda (R) and Israel's President Reuven Rivlin (L) attend the March of the Living, a yearly Holocaust remembrance march between the former death camps of Auschwitz and Birkenau, in Oswiecim
Poland's President Andrzej Duda (R) and Israel's President Reuven Rivlin (L) attend the March of the Living, a yearly Holocaust remembrance march between the former death camps of Auschwitz and Birkenau, in Oswiecim - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Milhares de pessoas marcharam de Auschwitz para Birkenau, na Polônia, no dia 12 de abril, homenageando os judeus mortos na 2ª Guerra no Dia da Memória das Vítimas do Holocausto.

Não se pode ignorar a colaboração polonesa com os nazistas durante o Holocausto, disse o presidente israelense Reuven Rivlin a seu colega polonês, Andzrej Duda, em uma reunião na quinta-feira, antes da Marcha anual dos Vivos no antigo campo de concentração de Auschwitz.

Pessoas carregando um cartaz com uma foto de Mireille Knoll enquanto marcham em silêncio durante uma amnifestação contra o anti-semitismo em Paris, França. - Sputnik Brasil
Franceses vão às ruas após assassinato de sobrevivente do Holocausto
Algumas semanas antes, as autoridades polonesas aprovaram uma lei polêmica, que estipula que as alegações de cumplicidade polonesa na Shoah, como o Holocausto é chamado pelo povo judeu, são infundadas e ilegais. O projeto ainda deve ser aprovado pelo Tribunal Constitucional da Polônia.

"Não é por acaso que descrevemos os campos da morte como campos de nazistas e seus ajudantes", disse Rivlin. "Não há dúvida de que muitos poloneses lutaram contra o regime nazista, mas não podemos negar o fato de que a Polônia e os poloneses deram uma ajuda à aniquilação dos judeus durante o Holocausto", disse Rivlin.

Ele passou a reconhecer que é necessário um estudo completo dos eventos e tendências durante o Holocausto.

"Os estadistas devem moldar o futuro, e os historiadores têm o dever de descrever o passado. Não se deve desviar para o campo do outro", disse ele.

Em resposta, Duda admitiu um ar de controvérsia em torno da nova lei, mas ele reiterou que o governo polonês não tem como objetivo impedir que sobreviventes der darem seu testemunho.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала