Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

'Inconstitucional': Trump sofre processos por querer mudar o Censo dos EUA

© REUTERS / Carlos BarriaDonald Trump fala durante cerimônia de assinatura de ordens executicas dobre comércio, acompanhado pelo vice-presidente Mike pence e secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross.
Donald Trump fala durante cerimônia de assinatura de ordens executicas dobre comércio, acompanhado pelo vice-presidente Mike pence e secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross. - Sputnik Brasil
Nos siga no
Pelo menos 12 estados dos EUA anunciaram processos contra o governo dos Estados Unidos por uma mudança no Censo, que segundo eles, viola a constituição e causará subnotificação da população, mudanças na representação no Congresso e financiamento dos estados.

Nesta quarta-feira (28), o principal grupo de direitos civis dos EUA, o NAACP, entrou com uma ação contra o presidente Donald Trump e o escritório responsável pelo recenseamento devido aos planos de incluir no censo norte-americano de 2020 a necessidade de ser cidadão dos EUA.

"A Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP) […] junto com o condado de Prince George, Maryland, o condado da NAACP, e dois residentes do condado, processaram o governo federal hoje para combater a ameaça iminente de que o Censo de 2020 diminua a contagem de afro-americanos e outras pessoas de cor em comunidades por todo os Estados Unidos", disse a NAACP em um comunicado de imprensa nesta quarta-feira (28).

PATRIOT Capabilidade avançada 3 (PAC-3) sistema antimíssil - Sputnik Brasil
Polônia paga US$ 4,75 bilhões aos EUA pelos sistemas de mísseis Patriot
A medida, portanto, pode excluir imigrantes ilegais e causar um efeito de subnotificação considerado severo por especialistas. Em seu processo, a NAACP argumenta que a inclusão de uma questão de cidadania no Censo 2020 iria criar um efeito de subnotificação a respeito de comunidades com grandes populações afro-americanas, ao mesmo tempo em que aumentaria a contagem de comunidades menos diversas racialmente de forma substancial. Em suma, a mudança, segundo eles, pode fazer com que os EUA pareçam um país mais branco.

Desde que o governo Trump anunciou na segunda-feira (26) que o Censo perguntará às pessoas se são cidadãs norte-americanas, Califórnia, Nova York, Nova Jersey e pelo menos outros 9 estados dos EUA entraram com processos com objeções semelhantes. 

O presidente dos EUA, Donald Trump, durante seu discurso na XXV Cúpula da APEC realizada na cidade de Danang (Vietnã) em 10 de novembro de 2017 - Sputnik Brasil
Segunda Emenda para sempre: Trump promete não mexer na lei das armas nos EUA
O Censo nos EUA é realizado a cada 10 anos, como consta na Constituição, e determina, por exemplo, quantos representantes no Congresso cada estado terá. Além disso, determina onde e como serão alocados os recursos federais nos estados. Da mesma forma, números inexatos do Censo podem afetar estratégias e políticas de governo. Com a mudança, o cenário político pode ser alterado por até uma década no país.

Uma preocupação primordial dos críticos é que a pergunta sobre a cidadania fará com que as pessoas — especialmente as minorias — recusem-se a cooperar com o próximo censo. A Constituição dos EUA exige que o governo conte todas as pessoas que residem nos Estados Unidos a cada 10 anos, não apenas cidadãos americanos.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала