Astrônomos russos determinam fim de 'antierupções' solares

© NASA . NASA/SDOExtravagante "traje" solar publicado pela NASA nas vésperas do Dia das Bruxas
Extravagante traje solar publicado pela NASA nas vésperas do Dia das Bruxas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os cientistas da Rússia especificam data em que terminarão as chamadas "antierupções" solares – interrupções no fluxo da radiação de raios-X do Sol que foram registrados desde meados de fevereiro.

"Estes parênteses no fluxo de radiação solar aparecem nos gráficos duas vezes ao ano e ocorrem pois a Terra cobre o campo de visão do aparato espacial GOES-15. Por esta razão, tais fenômenos representam um tipo de eclipse em que o corpo eclipsante não é a Lua, mas, sim, nosso planeta", afirma o Laboratório de Astronomia de Raio X do Sol, atribuído ao Instituto Físico Lebedev da Academia de Ciências da Rússia.

Os especialistas do Laboratório indicaram que a Terra obstaculizará a observação do campo solar até 30 ou 31 de março, sendo que as antierupções continuarão até o fim do mês. Em seguida, a transmissão do sinal produzido pelo GOES-15 será restaurada.

A sonda Parker Solar Probe se aproximando do Sol (simulação) - Sputnik Brasil
Saiba como pode 'chegar' ao Sol com a inédita nova missão da NASA! (VÍDEO)
O fornecedor principal de dados sobre as erupções solares são os aparelhos do serviço Satélite Ambiental Operacional Geoestacionário e da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional estadunidense (GOES e NOAA, respectivamente nas siglas em inglês).

Estes aparatos registram as erupções à medida que aumenta o nível da radiação de raios-X proveniente do Sol no espaço mais próximo da Terra.

Dependendo do poder do fluxo das partículas produzidas pelo astro, as erupções se classificam de A até X, onde a última letra significa a erupção de potência máxima.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала