Armas nucleares para reunificação: ex-embaixador dos EUA sugere planos da Coreia do Norte

© REUTERS / KCNALançamento do míssil Hwasong-12, 15 de setembro, 2017
Lançamento do míssil Hwasong-12, 15 de setembro, 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um ex-embaixador dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU) sugeriu que o desenvolvimento de armas nucleares por parte da Coreia do Norte vai além do discurso de defesa da sua soberania: trata-se de buscar a reunificação, mas sob seu controle.

"Em algum momento, as pessoas têm que reconhecer que a Coreia do Norte quer armas nucleares não apenas para autodefesa, mas ainda querem reunificar a península coreana sob seu controle", afirmou John Bolton em um fórum na última quarta-feira.

Conhecido pelo seu olhar crítico sobre Pyongyang, Bolton usou o seu ponto de vista – que está em consonância com a visão de assessores do presidente dos EUA, Donald Trump – para reforçar que a Coreia do Sul pode ser severamente afetada pelos planos norte-coreanos.

Presidente Trump discursa perante a Assembleia Geral da ONU (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Trump anuncia maior pacote de sanções já aplicado contra Coreia do Norte

"A segurança a longo prazo para a Coreia do Sul será prejudicada severamente se a Coreia do Norte obtiver a capacidade de armas nucleares entregues", ponderou o ex-embaixador estadunidense na ONU.

Na semana passada, o almirante Harry Harris, chefe do Comando do Pacífico dos EUA, afirmou que os planos do líder norte-coreano Kim Jong-un vão além da defesa da sua soberania – alegação que Pyongyang usa frequentemente para defender o seu programa nuclear.

"[O plano de longo prazo] é a reunificação sob um sistema comunista", declarou Harris em uma audiência no Congresso dos EUA. Anteriormente, o diretor da CIA Mike Pompeo e o diretor de Inteligência Nacional Dan Coats fizeram pontuações semelhantes.

Segundo essa avaliação, a demanda da Coreia do Norte pelo fim dos exercícios conjuntos militares entre os EUA e a Coreia do Sul prega o enfraquecimento da aliança, e visaria em um segundo momento forçar a saída das tropas norte-americanas que estão em Seul. Tudo pela reunificação, sob o comando de Pyongyang.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала