EUA se preocupam com crescente influência da Rússia e China na América Latina

© AFP 2022 / FEDERICO PARRADesfile militar na Venezuela com participação de helicópteros Mi-17 venezuelanos produzidos pela Rússia
Desfile militar na Venezuela com participação de helicópteros Mi-17 venezuelanos produzidos pela Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, mostrou-se preocupado com a crescente influência da Rússia e China na América Latina, advertindo os países da região do aumento de sua dependência.

Na quinta-feira (1), o secretário de Estado dos EUA deu início à viagem semanal pela América Latina.

"A crescente presença russa na região também causa preocupação, ela continua vendendo armas e equipamentos militares aos regimes inamistosos, que não respeitam valores democráticos como nós. A nossa região deve resistir às forças distantes, que possuem outros valores", declarou Tillerson na Universidade do Texas em Austin.

Ele sublinhou que Washington, em comparação com a Rússia e China, não busca "vantagem imediata", mas quer uma parceria mutualmente vantajosa para a prosperidade do hemisfério ocidental.

Helicóptero russo Ka-52 - Sputnik Brasil
Helicópteros russos serão produzidos na América Latina?
Além do mais, Tillerson notou que a China vem propondo para a América Latina "um caminho de desenvolvimento atraente" em troca de bens governamentais, causando, assim, dependência forte a Pequim, dano ao setor de manufatura destes países, redução salarial e aumento da taxa de desemprego. "Na realidade, eles [a China] propõem uma vantagem a curto prazo em troca da dependência a longo prazo", esclareceu o secretário de Estado.

"A América Latina não precisa de novas forças imperiais, que estão buscando apenas lucrar", disse ele.

Planeja-se que de 1º a 7 de fevereiro o secretário de Estado visite o México, Argentina, Peru, Colômbia e Jamaica.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала