Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

China promete 'humilhação total' aos EUA se não pararem provocações

© AP Photo / Xinhua, Wu DengfengNavio chinês mostra suas capacidades durante manobras (imagem ilustrativa)
Navio chinês mostra suas capacidades durante manobras (imagem ilustrativa) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Duas mídias oficiais do Partido Comunista da China comunicam que Pequim militarizará a zona "se EUA não pararem suas provocações".

Mar do Sul da China. - Sputnik Brasil
China estaria aumentando presença no mar do Sul da China com 'resultados impressionantes'
Pequim ameaçou Washington com "humilhação total" se continuar com suas "provocações" no mar do Sul da China, depois que o destróier dos EUA se aproximou da ilha de Huangyan [também conhecida como recife de Scarborough, no mar do Sul da China] sem a permissão do governo chinês.

Em 17 de janeiro à noite, o destróier estadunidense USS Hopper navegou a 12 milhas náuticas da ilha de Huangyan, no mar do Sul da China, cuja soberania é reivindicada por Pequim. O Pentágono qualificou a manobra como parte de suas operações "de rotina" em águas neutras.

'Se EUA não pararem suas provocações, China militarizará as ilhas'

Em resposta, o Global Times, jornal oficial do Partido Comunista da China, publicou um breve comentário onde advertiu que embora Pequim "exerça a moderação" em meio às provocações dos EUA no mar do Sul da China, "há limites".

"Se EUA não pararem suas provocações, cedo ou tarde China militarizará as ilhas", avisa o informe intitulado "EUA já não domina o mar do Sul da China". "Washington estará sem opções de contramedidas e sofrerá uma humilhação completa", destaca a mídia.

Bandeiras chinesas e norte-americanas - Sputnik Brasil
Nova estratégia de defesa dos EUA irrita a China
Da mesma forma, o The People's Daily — outro jornal oficial do Partido Comunista, criticou na segunda-feira (22) os EUA por realizarem as chamadas operações de "liberdade de navegação", que danificam os esforços da China para "melhorar a cooperação pacífica" na região. 

O jornal sublinha que se Washington seguir provocando problemas e criando tensões no mar do Sul da China, Pequim "será obrigada a concluir que é necessário fortalecer e acelerar o processo de construção de suas capacidades" na zona para "proteger a paz e a estabilidade regionais".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала