Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Ex-funcionário do Departamento de Estado: 'histeria antirrussa' sabotou a agenda de Trump

© REUTERS / Jonathan ErnstPresidente dos EUA, Donald Trump, conversa por telefone com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, na Sala Oval da Casa Branca, em 28 de janeiro de 2017
Presidente dos EUA, Donald Trump, conversa por telefone com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, na Sala Oval da Casa Branca, em 28 de janeiro de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga no
O presidente dos EUA, Donald Trump, durante seu primeiro ano no cargo, acabou cedendo o controle da política externa aos neoconservadores e não cumpriu sua promessa de campanha de estreitar os laços com a Rússia, disse o ex-assessor do secretário de Estado, Chas Freeman, à Sputnik.

EUA contra Rússia - Sputnik Brasil
Conselheiro de Trump revelou a nova estratégia dos EUA para a Rússia
Este sábado marca um ano desde a posse de Trump. No dia em que assumiu o cargo, ele prometeu trabalhar com a Rússia e evitar campanhas militares de longo prazo no exterior.

"Se alguém teve sucesso no ano passado, esses foram o dos neoconservadores, que assumiram a política externa dos EUA, apesar da hostilidade aparente inicial do Sr. Trump", disse Freeman.

Trump enfrentou acusações sem precedentes e infundadas de apoiar Rússia, que o impediram de atuar para melhorar as relações entre as superpotências durante seu primeiro ano de mandato, observou Freeman.

"A histeria antirrussa, impulsionada por uma mistura de velhos hábitos da Guerra Fria, bem como a falta de vontade de [Hillary] Clinton de enfrentar suas próprias inadequações na qualidade de candidata, impediram Trump de explorar a cooperação com a Rússia", disse ele.

Como resultado, a estabilidade e a segurança europeias continuam em dúvida, disse Freeman.

"Ele não procurou acabar com as guerras que seus predecessores começaram. Em vez disso, ele cedeu aos argumentos de seus generais e continuou essas guerras", lamentou o ex-funcionário do Departamento de Estado.

Donald Trump durante coletiva em Nova York (Foto) - Sputnik Brasil
Trump: relações com Rússia estão 'a ponto muito perigoso' e é culpa do Congresso dos EUA
Tal como os seus generais, Trump não aceitou que os Estados Unidos perderam suas guerras no Afeganistão, no Iraque, na Somália, na Síria e no Iêmen, comentou Freeman.

Freeman é diretor vitalício do Atlantic Council e atuou como Chefe da Missão dos EUA e Encarregado de Negócios nas embaixadas dos EUA em Pequim e em Bangkok. Ele também ocupou vários cargos de alto nível no Departamento de Defesa dos EUA.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала