Dia da Ira: tropas israelenses esmagam violentos protestos palestinos na Cisjordânia

Nos siga noTelegram
Bodoques, gás lacrimogêneo e pneus em chamas: foi assim que os palestinos reagiram à recente decisão do presidente estadunidense Donald Trump de reconhecer toda a Jerusalém como a capital oficial de Israel.

Confira os momentos mais tensos dos confrontos entre os manifestantes palestinos e as tropas israelenses na nossa galeria de fotos.

© REUTERS / Mohamad TorokmanUm agente da inteligência israelense à paisana detém um manifestante palestino durante os protestos perto do povoado judeu de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
Um agente da inteligência israelense à paisana detém um manifestante palestino durante os protestos perto do povoado judeu de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
1/12
Um agente da inteligência israelense à paisana detém um manifestante palestino durante os protestos perto do povoado judeu de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Mohamad TorokmanAdvogados palestinos fogem durante confrontos com as tropas israelenses durante os protestos contra a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017.
Advogados palestinos fogem durante confrontos com as tropas israelenses durante os protestos contra a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
2/12
Advogados palestinos fogem durante confrontos com as tropas israelenses durante os protestos contra a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Mohamad Torokman Um guarda fronteiriço israelense dispara contra manifestantes palestinos durante os confrontos, enquanto estes apelam ao “dia de ira” em resposta à decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017.
Um guarda fronteiriço israelense dispara contra manifestantes palestinos durante os confrontos, enquanto estes apelam ao “dia de ira” em resposta à decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
3/12
Um guarda fronteiriço israelense dispara contra manifestantes palestinos durante os confrontos, enquanto estes apelam ao “dia de ira” em resposta à decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Mohamad TorokmanUm palestino segura um pneu em chamas durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 10 de dezembro de 2017.
Um palestino segura um pneu em chamas durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 10 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
4/12
Um palestino segura um pneu em chamas durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 10 de dezembro de 2017.
© AP Photo / Nasser ShiyoukhiUm grupo de advogados palestinos segura bandeiras nacionais durante um protesto contra a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017.
Um grupo de advogados palestinos segura bandeiras nacionais durante um protesto contra a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
5/12
Um grupo de advogados palestinos segura bandeiras nacionais durante um protesto contra a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 13 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Goran TomasevicAgentes dos serviços secretos israelenses que trabalham à paisana detêm um manifestante palestino perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
Agentes dos serviços secretos israelenses que trabalham à paisana detêm um manifestante palestino perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
6/12
Agentes dos serviços secretos israelenses que trabalham à paisana detêm um manifestante palestino perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
© AP Photo / Nasser ShiyoukhiUm advogado palestino atira pedras em direção às tropas israelenses durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
Um advogado palestino atira pedras em direção às tropas israelenses durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
7/12
Um advogado palestino atira pedras em direção às tropas israelenses durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Mohamad TorokmanUm guarda fronteiriço israelense lança gás lacrimogêneo contra os manifestantes palestinos durante os confrontos provocados pela decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 9 de dezembro de 2017.
Um guarda fronteiriço israelense lança gás lacrimogêneo contra os manifestantes palestinos durante os confrontos provocados pela decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 9 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
8/12
Um guarda fronteiriço israelense lança gás lacrimogêneo contra os manifestantes palestinos durante os confrontos provocados pela decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como capital do Estado judeu, em 9 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Mohamad TorokmanUm advogado palestino atira pedras em direção às tropas israelenses durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
Um advogado palestino atira pedras em direção às tropas israelenses durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
9/12
Um advogado palestino atira pedras em direção às tropas israelenses durante os confrontos com as tropas israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Mohamad TorokmanManifestantes palestinos puxam um contêiner com lixo durante os confrontos com os soldados israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 11 de dezembro de 2017.
Manifestantes palestinos puxam um contêiner com lixo durante os confrontos com os soldados israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 11 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
10/12
Manifestantes palestinos puxam um contêiner com lixo durante os confrontos com os soldados israelenses perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 11 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Goran TomasevicUm agente da inteligência israelense à paisana detém um manifestante palestino durante os protestos perto do povoado judeu de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
Um agente da inteligência israelense à paisana detém um manifestante palestino durante os protestos perto do povoado judeu de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
11/12
Um agente da inteligência israelense à paisana detém um manifestante palestino durante os protestos perto do povoado judeu de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 13 de dezembro de 2017.
© REUTERS / Mohamad TorokmanUm manifestante palestino usa bodoque para lançar pedras contra os soldados israelenses durante os confrontos perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 11 de dezembro de 2017.
Um manifestante palestino usa bodoque para lançar pedras contra os soldados israelenses durante os confrontos perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 11 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
12/12
Um manifestante palestino usa bodoque para lançar pedras contra os soldados israelenses durante os confrontos perto do povoado de Beit El, a pouca distância da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, em 11 de dezembro de 2017.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала