Militares de alta patente da China e EUA se encontram para discutir testes norte-coreanos

© REUTERS / Toru HanaiTelevisão japonesa mostra lançamento do míssil balístico intercontinental, Hwasong-15, realizado pela Coreia do Norte
Televisão japonesa mostra lançamento do míssil balístico intercontinental, Hwasong-15, realizado pela Coreia do Norte - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os principais generais das forças armadas dos EUA e China se encontraram em Washington nesta semana após a última provocação de mísseis da Coreia do Norte.

As reuniões foram realizadas na quarta e quinta-feira, algumas horas depois do teste de mísseis balísticos intercontinental de Pyongyang.

O major do Exército Popular de Libertação, Shao Yuanming e o tenente general Richard Clarke, do Departamento de Defesa dos EUA, discutiram maneiras de melhorar os canais de comunicação sobre a situação na Península Coreana, relatou o Morning China Post.

LançameHwasong-15 que teve lugar na noite de 28 para 29 de novembronto do míssil balístico intercontinental - Sputnik Brasil
'7 passos' dos EUA para eliminar míssil da Coreia do Norte (FOTO)
Um porta-voz do Ministério da Defesa da China informou que a discussão se concentrou no gerenciamento de crises, mas não divulgou mais informações. As reuniões foram originalmente agendadas para agosto, mas só aconteceram nesta semana, de acordo com o jornal de Hong Kong.

O último teste de mísseis de Hwasong-15 da Coreia do Norte "foi mais alto, francamente, do que qualquer lançamento anterior que eles tomaram", disse chefe do Pentágono, James Mattis, pouco depois do lançamento. As estimativas de quão alto a viagem de mísseis variam, mas o projétil parece ter atingido pelo menos cerca de 4.800 quilômetros seria  capaz de atingir qualquer lugar do globo.

Moscou e Pequim condenaram o teste de mísseis

"Instamos a Coreia do Norte a interromper os testes nucleares e de mísseis, e os Estados Unidos e a Coreia do Sul de se absterem de realizar exercicios de forças aéreas não planejadas, sem precedentes em escala e agendados para dezembro deste ano, uma vez que só irá agravar a situação", disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

Norte-coreanos observando o teste do míssil balístico Hwasong-14 - Sputnik Brasil
Coreia do Norte pode realizar novo teste nuclear nas próximas semanas, diz Seul
Entretanto, o Ministério das Relações Exteriores da China expressou "uma grave oposição e preocupação" sobre o mais recente teste de mísseis. A França também se juntou à condenação internacional.

"Condenamos fortemente o lançamento de mísseis que a Coreia do Norte realizou hoje. A França expressa sua solidariedade com o Japão e a Coreia do Sul diante dessa ameaça.  Reitero minha convicção de que chegou a hora de aumentar a pressão e as sanções contra Pyongyang", declarou o ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, disse em um comunicado na quarta-feira.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала