Como se estraga um tanque? Pergunte aos ucranianos

© REUTERS / Faisal MahmoodTanques paquistaneses Al-Khalid durante uma parada militar em Islamabad, em 23 de março de 2017
Tanques paquistaneses Al-Khalid durante uma parada militar em Islamabad, em 23 de março de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
30 veículos blindados do exército paquistanês foram retirados de serviço depois de usarem um óleo de motor fabricado na Ucrânia, informa um portal on-line.

Embarcação Castoro Sei, envolvida na construção da segunda etapa do gasoduto Nord Stream - Sputnik Brasil
Morte da 'vaca sagrada': como sistema de transporte de gás destruirá Ucrânia
De acordo com os resultados de uma investigação realizada pelo Golos.UA, funcionários da empresa de exportação Ukrspetsexport adquiriram óleo de motor de baixa qualidade a preços inflados, que depois forneceram para seus clientes estrangeiros.

Em 2016, a fábrica Malyshev, localizada na cidade ucraniana de Kharkov, forneceu ao Ministério da Defesa do Paquistão 30 unidades de motores para veículos blindados Al-Khalid. No entanto, os blindados paquistaneses começaram a falhar um após outro.

Ao examinar os motores dos veículos, os especialistas chegaram à conclusão de que o principal motivo das falhas foi a utilização do óleo de motor Azmol Garant, de qualidade muito baixa.

No entanto, o próprio fabricante do óleo afirmou não ter fornecido este lubrificante ao Paquistão. Mais tarde, descobriu-se que a empresa Ukrspetsexport recorreu a um intermediário que não possuía licença para vender o produto aos paquistaneses.

Além disso, adquiriu-o oficialmente por cerca de US$ 6.000 (cerca de R$ 20 mil) por tonelada, enquanto seu preço de mercado é de US$ 3.000 (cerca de R$ 10 mil).
A diferença entre o custo real e o custo oficial acabou nas contas bancárias dos funcionários da Ukrspetsexport em paraísos fiscais, conclui a mídia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала