- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Moro diz que Lava Jato está perto do fim, descarta política e detona ditadura militar

© Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência BrasilJuiz federal Sérgio Moro
Juiz federal Sérgio Moro - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os trabalhos da Operação Lava Jato na primeira instância, em Curitiba, estão se aproximando do fim, declarou nesta segunda-feira o juiz federal Sérgio Moro. Para ele, a expectativa popular deverá voltar-se para julgamentos futuros no Supremo Tribunal Federal (STF).

"A Operação Lava Jato em Curitiba está, possivelmente, chegando ao fim. Ainda existem investigações relevantes em andamento, mas uma grande parte do trabalho já foi feito", afirmou Moro em São Paulo, onde esteve para receber um prêmio da Universidade Notre Dame, dos Estados Unidos.

Segundo informações reproduzidas pela Agência Reuters, Moro teria dito que está "um pouco cansado" com o trabalho realizado até aqui na Lava Jato, e que a população aguarda pelo julgamento de políticos envolvidos na operação, que caberá ao STF por tais nomes terem foro privilegiado.

Grupo de brasileiros exibia uma faixa com os dizeres golpe nunca mais - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
'Intervenção militar não é solução para o Brasil', diz substituto de Mourão no RS

"O Supremo deve ter a percepção da relevância da manutenção desse precedente para o enfrentamento dessa corrupção sistêmica", comentou, referindo-se às prisões após condenações em segunda instância, comparando ainda o atual momento com aquele de 2012, quando a Corte máxima do país julgou políticos com foro e que estavam ligados ao mensalão do PT.

Moro falou ainda de outros temas. Um foi a sua possível participação nas eleições presidenciais de 2018 – o seu nome vem sendo mencionado em pesquisas de intenções de voto nos últimos meses. Para o juiz, é uma "perda de tempo".

"Não existe nenhuma expectativa. Pesquisas que incluem o meu nome estão perdendo tempo, porque não vai acontecer. Isso é simples assim", garantiu.

Por fim, Moro chamou de "grande erro" o período da ditadura militar no Brasil (1964-1985), alertando que o fortalecimento da democracia depende do aprofundamento dela, e não no rompimento.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала