Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Armas letais dos EUA não ajudarão Kiev a 'ganhar guerra', acredita Donetsk

© AFP 2021 / Sergei SupinskyRecrutas do exército ucraniano participam da cerimônia militar de juramento
Recrutas do exército ucraniano participam da cerimônia militar de juramento - Sputnik Brasil
Nos siga no
Armas letais norte-americanas não ajudarão Kiev a "ganhar a guerra civil" em Donbass, declarou o representante das autoridades da autoproclamada República Popular de Donetsk, Aleksandr Kostenko.

Mais cedo, o chefe do Estado-Maior dos Estados Unidos, general Joseph Dunford, declarou que o fornecimento de armas letais à Ucrânia a ajudarão a "conter a Rússia". Entretanto, Moscou tem repetidamente declarado não estar ligada aos eventos em Donbass.      

"As autoridades ucranianas não entendem que a entrega de armas letais pelos Estados Unidos não as ajudarão a ganhar guerra civil, iniciada por Kiev em Donbass. Além disso, não vale a pena esquecer que o Ocidente [EUA e Europa] fornecia armas à Ucrânia desde 2014, nem chegando a esconder o número de entregas e seu valor", indicou.

Ao mesmo tempo, ele lembrou que as partes conflituosas em Donbass são Kiev e as autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk.

"O Ocidente está mais uma vez exercendo populismo, usando a expressão 'agressão russa' que é infundada e sem provas legais. Durante as negociações em Minsk, a comunidade internacional reconheceu que a Rússia não faz parte deste conflito, e sim a Ucrânia e as Repúblicas de Donbass", acrescentou.

Assim, a Rússia, bem como outros países, é uma garantidora da implementação de documentos básicos que visam garantir a paz, os chamados acordos de Minsk. 

Militares dos EUA participam da parada militar em comemoração da independência da Ucrânia - Sputnik Brasil
Era de se esperar: Senado dos EUA aprova futuras entregas de armas letais a Kiev
As autoridades da Ucrânia iniciaram em abril de 2014 uma operação militar contra as repúblicas autoproclamadas de Lugansk e Donetsk, que declararam sua independência da Ucrânia em fevereiro de 2014. De acordo com os últimos dados da ONU, mais de 10 mil pessoas se tornaram vítimas do conflito.

A questão da regularização da situação em Donbass é discutida durante as reuniões do grupo de contato em Minsk, que já aprovou três documentos que regulam os passos para a desescalada do conflito. Mas os combates entre as partes em confronto ainda continuam.

Durante os últimos três anos, as autoridades ucranianas esperam receber armas letais dos EUA. No momento, Washington está prestando ajuda militar à Ucrânia, mas apenas em forma de munições e equipamentos, assim como através do treinamento dos soldados da Guarda Nacional da Ucrânia.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала