Na China o barulho de turistas pode atrapalhar as buscas de extraterrestres

© AFP 2022 / JOHANNES EISELE Visitantes no parque da Disney em Xangai (foto de arquivo)
Visitantes no parque da Disney em Xangai (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A capacidade da China de tornar qualquer grande edifício em um "parque de diversão" pode ter um impacto negativo quando se trata de edifícios onde se fazem experimentos científicos.

Uma múmia egípcia - Sputnik Brasil
Tomografia computadorizada permite saber tudo sobre as múmias! (FOTOS)
Por exemplo, o barulho produzido pelos milhões de turistas pode influenciar negativamente o funcionamento do radiotelescópio de 500 metros, situado nas montanhas da província de Guizhou, que foi construído para busca de formas de vida extraterrestre. 

Segundo a edição South China Morning Post, durante os primeiros 6 meses de 2017, o radiotelescópio FAST, que atualmente é o maior de sua classe, foi visitado pelos mais de 4 milhões de turistas. De acordo com avaliações de especialistas, este é um número enorme, e o barulho causado pelos visitantes pode afetar a precisão dos dados obtidos.

Atualmente, este radiotelescópio é o projeto astronômico mais dispendioso da China, ele custou 1,2 milhões de yuan (R$ 565). A edição comunica que o FAST colabora com o projeto Breakthrough Listen do empresário russo Yuri Milner, destinado também à busca de vida extraterrestre, com o orçamento total de 100 milhões de dólares (R$ 314 mil).

O FAST foi desenvolvido para ajudar os cientistas a entender melhor o Universo, mas também para encontrar e fixar pulsares e comunicações interestelares. Tais objetivos pressupõem que o radiotelescópio fique em um lugar silencioso e isolado. Porém, a quantidade de turistas, atraídos pelo objeto científico, tem mudado gradualmente o ambiente para pior.  

OVNI - Sputnik Brasil
História extraordinária: como OVNI fintou caças russos nos céus da Iugoslávia
Segundo as informações das autoridades locais, os turistas que visitaram o telescópio durante meio ano contribuíram para o orçamento regional com 4,6 milhões de yuan (R$ 2166 mil). Nota-se que nos próximos meses será iniciada a construção de duas autopistas que ligarão o local do telescópio à capital da província, a cidade de Guiyang. Ultimamente na pequena cidade, situada perto do telescópio, foram inaugurados mais de 40 hotéis e 100 restaurantes para servirem o fluxo crescente de turistas.

Contudo, o que faz bem ao turismo nem sempre beneficia a ciência. O diretor do Planetário de Pequim, Zhu Jin, frisou que o local do telescópio não foi escolhido por acaso num lugar tão distante e isolado, pois a crescente atividade humana aumenta a poluição eletromagnética. De acordo com ele, não tem uma solução simples para o problema, é preciso que os dois lados cheguem a um compromisso. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала