Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Opinião: com instalação do THAAD, EUA podem ser seduzidos a atacar primeiro

Nos siga no
O analista militar Vladimir Kozin explicou para o serviço russo da Rádio Sputnik como esses sistemas ameaçam a Rússia e a China.

Os EUA realizaram testes bem-sucedidos do sistema THAAD contra mísseis balísticos de médio alcance, informa o canal Fox News

Segundo informações do canal, o sistema THAAD, instalado no estado do Alasca, interceptou com sucesso um míssil que foi lançado do norte do Havaí. 

​De acordo com o chefe da Agência de Defesa Antimíssil norte-americana, Sam Greaves, os sistemas de defesa antimíssil protegerão o país "da ameaça real e crescente". 

Mais anteriormente, a Reuters informou, citando funcionários norte-americanos, que os EUA estariam planejando testar o sistema THAAD contra mísseis balísticos de médio alcance muito em breve.

Em julho de 2016, após 5 meses de negociações, os EUA e a Coreia do Sul concordaram em instalar o sistema THAAD em território sul-coreano, que será usado para interceptar mísseis balísticos da Coreia do Norte, caso seja necessário. 

THAAD norte-americano chega para Coreia do Sul - Sputnik Brasil
Sistema THAAD será incapaz de lidar com mísseis norte-coreanos?
Segundo informações do Ministério da Defesa sul-coreano, o alcance do THAAD não ultrapassa 200 quilômetros. Mesmo assim, a instalação do THAAD no país asiático provoca inquietação da Rússia e da China. O vice-representante da Rússia na ONU, Vladimir Safronkov, chegou a reforçar o pedido da Rússia para que os países cancelem imediatamente a instalação do complexo THAAD na região.

"Há dois momentos importantes. Primeiro, os lança-mísseis dos sistemas de mísseis interceptores podem ser equipados com elementos ofensivos. Existe mais um ponto sério, se a quantidade total dos sistemas de defesa antimíssil norte-americanos exceder a quantidade de portadores de mísseis, diremos dois para um, os EUA poderiam vir a ser seduzidos a ser os primeiros a realizar um ataque nuclear ou não nuclear contra um país X, defendendo-se com uma grande quantidade de mísseis defensivos. Caso isso aconteça, a estabilidade estratégica será danificada", explicou o analista militar Vladimir Kozin ao serviço russo da Rádio Sputnik.

Ele adiantou que quanto mais mísseis interceptores, especialmente estratégicos, os EUA possuírem, maior será a ameaça para a Rússia, pois, assim, Estados Unidos conseguiriam conter qualquer ataque nuclear e de mísseis. 

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала