Cientistas encerram o caso: é impossível haver vida na superfície marciana

© NASA . NASA/JPL-Caltech/MSSS Foto da superfície de Marte tirada pela sonda Curiosity
Foto da superfície de Marte tirada pela sonda Curiosity - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A vida na superfície de Marte não pode existir devido a uma aliança incomum de dois "inimigos" da vida – a luz ultravioleta e elementos tóxicos. Mas o mais importante é que eles precisam de apenas 60 segundos para destruir qualquer micróbio, revela a investigação publicada no jornal Scientific Reports.

Planeta Marte - Sputnik Brasil
Com Trump no poder, 'botas americanas pisarão no rosto de Marte'
Levando em consideração essa descoberta, os cientistas Jennifer Wadsworth e Charles Cockell da Universidade de Edimburgo (Escócia) chegaram à conclusão que "a superfície de Marte se tornou ainda menos favorável para vida do que antes imaginávamos".

Em novembro de 2012, o diretor da missão Curiosity, John Grotzinge, declarou sobre "descoberta memorável", feita em Marte. Mas duas semanas depois, quando a declaração já era muito popular e já tinha provocado diversos rumores fantásticos, os planetológos da NASA revelaram que a descoberta se trata de percloratos — moléculas orgânicas primitivas no solo do Planeta Vermelho.

Assim, todas as esperanças de encontrar os primeiros traços de vida extraterrestre foram destruídas.

Asteroide se aproximando da Terra (ilustração) - Sputnik Brasil
'Asteroide da morte' se aproxima da Terra
No jornal Scientific Reports, os cientistas explicam que quando a luz ultravioleta e percloratos se interagem, matam quaisquer micróbios. Por isso a vida não pode existir nem na superfície do planeta, nem no solo. Então, caso haja, é possível encontrar traços de vida somente em camadas profundas do solo, onde não penetre luz ultravioleta.

Além disso, a descoberta de percloratos significa que águas subterrâneas do planeta são compostas por substâncias tóxicas, excluindo, assim, a possibilidade de nascimento de qualquer organismo vivo nelas.

Para provar tudo em prática, os cientistas criaram um solo totalmente semelhante ao de Marte e revelaram que micróbios podem se adaptar aos percloratos e mesmo existir juntos durante um período longo. Mas, quando adicionada luz vermelha, os micróbios desaparecem em 50 a 60 segundos.

O bilionário Elon Musk - Sputnik Brasil
Elon Musk afirma que humanidade caminha para a catástrofe
Os cientistas confirmaram que, em tais condições, a vida não pode existir, e se buscar quaisquer traços da vida passada em Marte, é melhor investigar lugares muito profundos.

No entanto, para aqueles que planejam se mudar para Marte há uma notícia positiva. Essa descoberta significa também que os cientistas podem ficar despreocupados quanto à contaminação da superfície marciana com micróbios terrestres. Mesmo se "animaizinhos" conseguissem sobreviver à viagem da Terra para Marte, a luz vermelha e percloratos os destruiriam de imediato.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала