França recruta militares iraquianos para eliminar jihadistas de origem francesa

© AP Photo / Khalid Mohammed Polícia federal iraquiana em Mossul ocidental, 7 de março de 2017
Polícia federal iraquiana em Mossul ocidental, 7 de março de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os serviços secretos franceses recorreram durante vários meses a militares iraquianos para rastrear e matar franceses que se juntaram ao grupo terrorista Daesh, informou o The Wall Street Journal citando agentes iraquianos e autoridades francesas.

Soldiers from the Syrian army fire a rocket at Islamic State group positions in the province of Raqqa, Syria - Sputnik Brasil
Ataques aéreos russos matam 120 terroristas do Daesh que fugiam de Raqqa
De acordo com a mídia, os militares franceses forneceram às forças antiterroristas iraquianas 30 nomes de cidadãos franceses identificados como alvos de alto valor, tendo as informações da inteligência francesa permitido eliminar um número não revelado de franceses que se juntaram ao Daesh.

Um assessor de relações exteriores do governo francês disse à edição que a operação secreta visou garantir que os franceses que se haviam juntado aos jihadistas nunca voltariam à Europa para realizar ataques.

"As forças francesas trabalham em estreita cooperação com seus parceiros iraquianos e internacionais", disse uma porta-voz do Ministério da Defesa francês, recusando-se a comentar esta operação em detalhes. 

Situação no oeste de Mossul, março de 2017 - Sputnik Brasil
Pentágono quer culpar o Daesh por mais de 100 civis mortos durante ataque aéreo em Mossul
Um alto oficial da polícia iraquiana mostrou ao jornal uma lista de 27 supostos membros do Daesh procurados pelas autoridades francesas, bem como suas fotos, afirmando que as forças de segurança iraquianas tinham obtido esta lista no início da operação para recapturar Mossul em outubro de 2016.

O grupo terrorista Daesh conseguiu apoderar-se de grandes territórios na Síria desde o início da guerra civil no país em 2011. Em 2014, os jihadistas lançaram uma ofensiva em grande escala contra o Iraque, capturando uma série de cidades e vilas, incluindo a segunda maior cidade iraquiana, Mossul. O grupo conseguiu recrutar milhares de estrangeiros em todo o mundo, muitos dos quais voltam para seus países de origem para realizar ataques contra civis.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала