- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Joesley pagou R$ 100 mil a Temer durante um ano

© AFP 2022 / EVARISTO SAMichel Temer, presidente interino do Brasil
Michel Temer, presidente interino do Brasil - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente Michel Temer recebeu propinas no valor de 100 mil reais por mês, durante um ano, do dono da JBS, Joesley Mendonça Batista, segundo afirmou o empresário em delação premiada.

A informação foi revelada nesta sexta-feira, 19, pelo site O Antagonista, segundo o qual esses dados constam de um anexo que Joesley entregou à Procuradoria Geral da República (PGR). Ao todo, ele teria feito pagamentos no valor de 4,7 milhões de reais, a pedido de Temer, entre 2010 e 2017.

Nesta tarde, o Supremo Tribunal Federal (STF) liberou os vídeos e os documentos referentes à delação de Batista. 

Entre as muitas informações dadas pelo dono da JBS, o empresário afirmou ter pago meio milhão de reais em propina para diferentes políticos ao longo dos últimos 15 anos. Desse total, pelo menos R$ 400 milhões teriam sido declarados à Justiça Eleitoral como doação. "Propina disfarçada de doação política", de acordo com Joesley Batista.

Na última quarta-feira, o Brasil foi sacudido pela informação de que o presidente Temer teria sido gravado em uma conversa com Batista dando sinal verde para a compra do silêncio de deputado cassado e preso Eduardo Cunha, que prometia delatar muitos aliados. Antes e depois da liberação do áudio desse diálogo pela Justiça, autoridades e cidadãos em geral fizeram inúmeros pedidos para que o presidente renunciasse ao cargo, o que ele se negou a fazer até o momento.

Segundo um dos vídeos da delação divulgados nesta sexta-feira, Joesley afirmou que Temer, além de liberar o pagamento de propina a Cunha, também sugeriu que poderia ajudar o ex-presidente da Câmara junto a dois ministros do STF, mas sem citar nomes.

"Ele me fez um comentário curioso que foi o seguinte: 'Eduardo quer que eu ajude ele no Supremo poxa. Eu posso ajudar com um ou dois, com 11 não dá'. Também fiquei calado, ouvindo. Não sei como o presidente poderia ajudá-lo", disse o empresário.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала