Daesh diz que a 'Mãe de Todas as Bombas' não causou danos, relata AFP

© AFP 2022 / FA dos EUAAvião MC-130 da FA norte-americana durante missão de treinamento. De um avião deste tipo foi lançada a bomba GBU-43 contra o Daesh no Afeganistão em 13 de abril 2017
Avião MC-130 da FA norte-americana durante missão de treinamento. De um avião deste tipo foi lançada a bomba GBU-43 contra o Daesh no Afeganistão em 13 de abril 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A agência France-Presse informou sobre um comunicado do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) no qual se diz que os militantes não sofreram baixas na sequência do uso pela Força Aérea dos EUA de uma das bombas não-nucleares mais potentes no mundo.

The GBU-43/B, also known as the Massive Ordnance Air Blast, detonates during a test at Elgin Air Force Base, Florida, U.S., November 21, 2003 in this handout photo provided April 13, 2017. - Sputnik Brasil
Especialista militar sobre MOAB no Afeganistão: EUA são 'mestres da propaganda'
O comunicado, citado pela AFP, relata que não houve baixas “tanto em termos de mortos como em termos de feridos”.

Os EUA usaram pela primeira vez em combate nesta quinta-feira (13) a sua bomba não nuclear superpotente GBU-43 contra os terroristas do Daesh. O explosivo, cujo peso é 9,5 toneladas, foi lançado a partir de um avião MC-130. De acordo com os relatos, os EUA possuem 15 bombas deste tipo. Washington explicou que o ataque foi realizado contra tuneis do Daesh e testemunha o empenho da administração em eliminar o mencionado grupo terrorista.

Cabul confirmou que pelo menos 36 combatentes do Daesh foram eliminados em resultado do bombardeamento enquanto o presidente dos EUA Donald Trump classificou a operação como "uma missão muito bem-sucedida" das Forças Armadas norte-americanas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала