Operação multinacional liberta 5.000 prisioneiros do Boko Haram

Nos siga noTelegram
As forças da África Ocidental libertaram 5.000 pessoas que estavam sendo mantidas em cativeiro em aldeias pelo Boko Haram, em uma operação que matou mais de 60 terroristas e destruiu o esconderijo do grupo islâmico ao longo da fronteira entre a Nigéria e Camarões, segundo disse o ministro das Comunicações de Camarões nesta quarta-feira (15).

"Os reféns libertos consistem principalmente de mulheres, crianças e idosos", disse o ministro das Comunicações Issa Tchiroma Bakary em entrevista coletiva, segundo citado pela Reuters.

Soldados nigerianos exibem bandeira do Boko Haram apreendida na retomada da cidade de Damasak, em 18 de março de 2015 - Sputnik Brasil
Militares de cinco países africanos planejam ofensiva ‘final’ contra Boko Haram
Mais tarde, ele esclareceu que "as 5.000 pessoas foram salvas depois de uma varredura na fronteira dentro do território camaronês”, e que elas “eram reféns que não podiam deixar as aldeias".

Bakary disse ainda que nenhum soldado camaronês foi morto na operação, apesar de um ter sido ferido.

O grupo islâmico nigeriano Boko Haram tem lutado desde 2009 para tentar estabelecer um califado islâmico na região do Lago Chade, onde Nigéria, Camarões, Níger e Chade se encontram. Uma operação coordenada pelos militares das quatro nações desmantelou grande parte do território que o Boko Haram chegou a controlar, mas o grupo permanece capaz de lançar ataques letais, muitas vezes visando a população civil.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала