Construtora suíço-francesa confessa ter financiado militantes sírios

© REUTERS / Thibault CamusNa foto: uma fábrica da LafargeHolcim em Paris
Na foto: uma fábrica da LafargeHolcim em Paris - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A construtora suíço-francesa LafargeHolcim Group confessa ter financiado militantes sírios.

A informação foi revelada pelo jornal francês Le Monde nesta quinta-feira (2).

"O gigante suíço de materiais de construção LafargeHolcim admitiu, nesta quinta-feira, 2 de março, ter realizado arranjos 'inaceitáveis' para assegurar a segurança de uma fábrica de cimento na Síria, assolada pela guerra, entre 2012 e 2014", diz a matéria.

As operações realizadas teriam sido proveitosas para o grupo terrorista Daesh, proibido em muitos países, inclusive na Rússia.

Trata-se da fábrica de cimento de Jalabiya, propriedade, desde 2007, da francesa Lafarge (a fusão com a suíça Holcim ocorreu um pouco depois). Em 2013, o Daesh, muito ativo na área (região de Aleppo), forçou os funcionários do estabelecimento a apresentar documento com papel carimbado pelo Daesh para entrar na fábrica. Um desses documentos serviu de base para revelação de junho passado.

A fábrica parou de funcionar em 19 de setembro de 2014.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала