EUA testam com sucesso novo míssil interceptor, a ser implantado na Polônia

© Foto / Wikipedia.orgMíssil SM-3 lançado a partir do cruzador americano USS Lake Erie
Míssil SM-3 lançado a partir do cruzador americano USS Lake Erie - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Agência Americana da Defesa Antimíssil (MDA, na sigla em inglês) comunicou a realização bem-sucedida de um teste do míssil guiado SM-3 IIA que será implantado na Polônia antes de 2020, no âmbito do programa global de defesa antimíssil dos EUA.

Secretário da Defesa dos EUA, James Mattis, e seu homólogo sul-coreano, Han Min-koo, durante a visita do primeiro à Coreia do Sul, 3 de fevereiro de 2017 - Sputnik Brasil
EUA e Coreia do Sul vão manter contato permanente no contexto das ameaças de Pyongyang
O SM-3 IIA, que é uma versão do míssil SM-3, foi lançado pela primeira vez em Havaí na sexta-feira (03), de acordo com um comunicado da MDA publicado em 4 de fevereiro.

O míssil interceptor foi lançado a partir do destroier USS John Paul Jones, que identificou o míssil-alvo com ajuda do equipamento instalado a bordo.

"Depois de identificar e acompanhar o alvo, o navio lançou o míssil guiado SM-3 Block IIA que o interceptou", diz o comunicado.

A MDA informa que o Pentágono pretende efetuar o lançamento deste míssil a partir de um local de defesa antimíssil na Polônia até 2018.

O SM-3 IIA foi desenvolvido pelos EUA e o Japão em conjunto. O modelo é destinado à intercepção de mísseis balísticos de médio alcance.

Soldados norte-americanos em centro da OTAN no Leste Europeu - Sputnik Brasil
Infantaria dos EUA chega à Estônia
Vale destacar que os EUA possuem quatro tipos de mísseis interceptores: de curto, médio e longo alcance, e intercontinentais. Já que todos os mísseis são diferentes, o complexo de defesa antimíssil do país é multinível, conforme a velocidade, tamanho e outras características.

Por seu turno, o chefe do comando operacional do Estado-Maior General da Rússia, tenente-general Viktor Poznikhir, se opõe ao desenvolvimento do programa norte-americano por achar que o "sistema de defesa antimíssil dos EUA representa uma ameaça ao uso livre do espaço aéreo por qualquer país". Segundo ele, tais planos não se relacionam com o Irã ou Coreia do Norte, mas visam obter uma vantagem estratégica sobre a Rússia e China.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала