Relatório da Inteligência dos EUA afirma que a Rússia tentou impedir eleição de Clinton

Nos siga noTelegram
A inteligência dos EUA afirma que as autoridades russas tentaram abalar a confiança da sociedade norte-americana no processo democrático e “rebaixar” a presidenciável Hillary Clinton, esperando impedir a sua eleição.

Porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest - Sputnik Brasil
Casa Branca nega ter vazado informações de inteligência para a NBC
“O objetivo da Rússia era abalar a confiança no processo democrático nos EUA e rebaixar a secretária de Estado Clinton, bem como atrapalhar a sua eleição para a presidência”, explica o relatório da CIA, do FBI e da Agência de Segurança Nacional (NSA), publicado nesta sexta-feira.   

Em outubro, os representantes oficiais das agências de inteligência dos EUA declararam que hackers russos estavam por trás dos ciberataques contra os sistemas eleitorais do país. Mais tarde, a CIA, através da imprensa, acusou a Rússia de invadir os servidores do Partido Democrata, com objetivo de ajudar a eleição de Donald Trump. As provas da alegada interferência russa ainda não foram apresentadas pelo governo, que as classificou de confidenciais. Enquanto isso, Moscou nega de forma enérgica as acusações da administração do presidente Barack Obama.

O presidente eleito dos EUA, Donald Trump, considerou as acusações contra a Rússia exageradas e afirmou que os seus concorrentes à presidência, os democratas, tentam questionar dessa forma os resultados do pleito, bem como se eximir da responsabilidade pela derrota.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала