Milícia étnica do Congo mata 13 civis

© AFP 2022 / Eduardo SoterasCongoleses vestidos com roupas nacionais antes de sua apresentação no âmbito do projeto Capoeira pela Paz em Kinshasa, República Democrática do Congo. 26 de setembro de 2016
Congoleses vestidos com roupas nacionais antes de sua apresentação no âmbito do projeto Capoeira pela Paz em Kinshasa, República Democrática do Congo. 26 de setembro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As etnias Hutu e Nande se enfrentam desde o início do ano depois de operações do Exército congolês no leste do país.

Polícia da República Democrática do Congo - Sputnik Brasil
Milícia no nordeste do Congo mata 30 civis
Pelo menos 13 civis da etnia Hutu foram mortos neste domingo de natal pela milicia Nande, no Congo. A ação, com uso de armas de fogo e facões, pode ter sido uma vingança pela morte de civis Nande na semana passada, segundo ativistas.

As relações entre as comunidades se agravaram devido a movimentos da população e operações do exército contra os Hutu na área. Em novembro, os Nande assassinaram 30 Hutus em uma escalada violenta que sacode o leste do país desde o início do ano.

A violência miliciana em todo o país aumentou na última semana, com o temor de que a permanência do presidente Joseph Kabila no poder possa alimentar uma onda de conflitos localizados.

Kabila, que está no poder desde 2001, assumiu o governo logo após a morte de seu pai, Laurent-Désiré Kabila. Em 2006, foi formalmente eleito presidente, cargo para o qual foi reeleito em 2011. Seu segundo mandato deveria terminar em 2016, mas o chefe de Estado se recusa a deixar a presidência e informou que não pretende realizar novas eleições antes de 2018.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала