Autoridades da Dinamarca retiram aviões da luta contra o Daesh

CC BY-SA 2.0 / Carlos Menendez San Juan / Caça F-16 da Dinamarca
Caça F-16 da Dinamarca - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O governo do Reino da Dinamarca, seguindo as decisões tomadas recentemente, vai retirar em meados de dezembro os seus caças e um avião de transporte que estão participando na coalizão internacional contra o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia).

Ao mesmo tempo, o país aumentará o volume de ajuda que presta ao Iraque por meio de assistência técnica em trabalhos da engenharia e construção.

Ensaio da Parada da Vitória na base aérea russa de Hmeymim, Síria - Sputnik Brasil
Rússia: é preciso proteger militares russos na Síria contra 'erros' americanos
A respectiva informação foi divulgada neste sábado (3) pelo governo por via de um comunicado publicado após realizar consultas relativamente o assunto com deputados do Parlamento (Folketinget). 

A mídia tinha divulgado que as autoridades dinamarquesas tinham planos de retirar os sete caças F-16 integrados na coalizão internacional contra o Daesh na Síria e no Iraque após o incidente que teve lugar em 17 de setembro. Na altura, como resultado de um ataque aéreo, foram mortos diversos soldados sírios. Dois caças da Dinamarca participaram do ataque e as autoridades admitiram oficialmente a sua responsabilidade no bombardeio.

"A Dinamarca oferece à coalizão uma nova cooperação. Assim, a assistência técnica será realizada por cerca de 150 especialistas. Hoje nós também informamos o comitê da política externa [do Folketinget] que, em 2017, o governo manterá a cooperação com a coalizão, mas, como foi planejado mais cedo, retirará a aviação," disse Anders Samuelsen, o chanceler da Dinamarca, citado pela assessoria de imprensa.

Militares sírios perto da base aérea de Deir ez-Zor - Sputnik Brasil
Síria avalia declaração dos EUA sobre ataque 'por engano' contra suas forças em setembro
A decisão recém-tomada é argumentada pela atual maior necessidade do Iraque em consultoria e treinamento de desativação de minas, bem como em trabalhos de engenharia e reparação.

A decisão de enviar sete caças F-16 e um avião de transporte à Síria e ao Iraque foi tomada pelo parlamento do país em abril de 2016 tendo em consideração que a operação deveria ser realizada em um prazo de seis meses.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала