Chancelaria russa chama projeto de resolução da UE sobre mídia russa de 'discriminação'

© AFP 2022 / JOEL SAGETMinistério das Relações Exteriores da Rússia
Ministério das Relações Exteriores da Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O projeto de resolução da UE para fazer frente à mídia russa que está sendo examinado é uma manifestação de descriminação, declarou o representante da chancelaria russa para os assuntos dos direitos humanos e democracia, Konstantin Dolgov.

Agência de notícias e rádio internacional Sputnik - Sputnik Brasil
Resolução contra Sputnik e outras mídias russas será votada no Parlamento Europeu
Na quarta-feira Parlamento Europeu votará a resolução  "Comunicações estratégicas da UE como resistência à propaganda de terceiras partes". No documento se afirma que a Rússia supostamente presta apoio financeiro a partidos e organizações oposicionistas na União Europeia e usa as relações bilaterais intergovernamentais para criar divisões entre os países membros da comunidade. Como maiores ameaças para União Europeia e seus aliados na Europa do Leste são proclamados a agência Sputnik, o canal RT, a fundação Russky Mir (Mundo Russo) e a agência federal Rossotrudnichestvo, subordinada à chancelaria russa.

"A própria colocação desta questão é discriminação, uma escandalosa discriminação dos direitos da mídia russa", disse Dolgov ao canal RT.

Segundo as palavras de Dolgov, a Rússia continuará levantando a questão sobre as tentativas de proibir a mídia russa nos vários países "porque se trata de discriminação, de uma patente violação das normas internacionais".

RT - Sputnik Brasil
Todas as contas do canal RT bloqueadas no Reino Unido
De acordo com Dolgov, os autores da resolução usam o mito da propaganda russa para receber financiamento das empresas antirussas.

"Os autores destas iniciativas tem medo do funcionamento eficaz da mídia russa, inclusive dos canais de notícias como o RT", considera Dolgov.

"Não é apenas violação das resoluções da OSCE, das normas internacionais da liberdade da mídia, liberdade de expressão, mas também é ma violação dos direitos legítimos dos cidadãos da UE", sublinhou ele, adicionando, que "por trás da aspiração de proibir algo está sempre uma fraqueza".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала