Trump: boas relações com Putin mas sem 'reinicialização'

© AFP 2022 / Don EMMERTTrump falando ao público em 8 de fevereiro de 2016
Trump falando ao público em 8 de fevereiro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente eleito dos EUA Donald Trump declarou que pretende ter boas relações com o líder russo Vladimir Putin, mas que não apoia a ideia de "reinicialização" das relações entre dois países, informa o jornal The New York Times.

O jornal The New York Times nota que, em uma entrevista, Trump disse que conversou com Putin depois da vitória nas eleições, mas se recusou revelar detalhes da conversa.

"Ele [Trump] disse que seria ótimo se ele e Putin tivessem boas relações. Entretanto, ele rejeitou a ideia de qualquer melhoria das relações semelhante à chamada ‘reinicialização'", escreve o jornal.

"Não usaria este termo depois de tudo o que aconteceu", escreve o The New York Times citando as palavras do presidente eleito.

Vladimir Putin conversa com jornalistas depois da cúpula da APEC em Lima, Peru, 20.11.2016 - Sputnik Brasil
Putin sobre Trump: ‘existe diferença entre retórica eleitoral e política real’
Refira-se que Trump só tem abordado os assuntos da política exterior em geral. Particularmente, o político declarou que é necessário parar a "loucura que ocorre agora na Síria".

Putin teve uma conversa telefónica com Trump em 14 de novembro. As opiniões dos políticos sobre as relações entre Moscou e Washington coincidiram, tendo ambos considerado que estas são insatisfatórias e se manifestado a favor da sua normalização.

O termo "reinicialização" nas relações russo-americanas apareceu durante o primeiro prazo do presidente Barack Obama. Naquela altura, o presidente e a secretária de Estado Hillary Clinton falaram sobre a necessidade de melhoria das relações com Moscou.

Presidente russo Vladimir Putin na praça Borovitskaya em Moscou - Sputnik Brasil
Putin explica por que Rússia reage bruscamente à ampliação da OTAN
Em 2009, Clinton e o ministro das Relações Exteriores Sergei Lavrov pressionaram um botão simbólico de "reinicialização". Ela [a "reinicialização"] resultou, principalmente, no Tratado de Redução de Armas Estratégicas e no acordo do trânsito de cargas militares da OTAN para o Afeganistão através da Rússia.

Depois, a "reinicialização" parou, em parte devido aos planos de criação do chamado escudo antimíssil na Europa.

Como indicou ainda em fevereiro deste ano o primeiro-ministro da Rússia Dmitry Medvedev, se as relações entre a Rússia e os EUA forem reiniciadas, isso deverá ser feito em uma base totalmente nova, mais justa e igual em direitos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала