Ministro turco: Mossul pode servir de pretexto para a Terceira Guerra Mundial

© AFP 2022 / AHMAD AL-RUBAYE Forças iraquianas na zona de al-Shurah, a 10 km da cidade de Mossul, Iraque, 17 de outubro de 2016
Forças iraquianas na zona de al-Shurah, a 10 km da cidade de Mossul, Iraque, 17 de outubro de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A ofensiva para libertar a cidade iraquiana de Mossul de terroristas do Daesh (Estado Islâmico) pode servir de pretexto para o início de uma nova e catastrófica guerra, declarou o vice-primeiro-ministro da Turquia, Numan Kurtulmus.

“A tentativa de transformar a operação para libertar Mossul de terroristas do Daesh num pretexto para uma nova guerra, realizada por terceiros, poderia gerar consequências catastróficas, incluindo a Terceira Guerra Mundial" – disse Kurtulmus.

Presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan durante discurso - Sputnik Brasil
Erdogan: 'Mossul pertence à Turquia historicamente'
Ele destacou que o futuro desta cidade está diretamente ligado aos interesses da Turquia, assim como das cidades sírias de Aleppo e Damasco.

“Os habitantes de países vizinhos são nossos amigos, irmãos, parentes. Todos vivemos na mesma região. Ninguém tem o direito de impedir que a Turquia se interesse pelos acontecimentos que acontecem em países vizinhos” – afirmou o vice-primeiro-ministro.

Kurtulmus voltou a criticar a posição das autoridades iraquianas que se opõem à presença de militares turcos no acampamento de Bashiqa, ao norte do Iraque, próximo a Mossul.

Forças iraquianas passam no deserto no âmbito de operação de libertação de Mossul, Iraque, 20 de outubro de 2016 - Sputnik Brasil
Premiê do Iraque: Turquia não luta contra Daesh, tenta sim ganhar influência
"Hoje, o primeiro-ministro do Iraque está tentando criticar a Turquia. Mas, antes de tudo, é preciso responder à pergunta de por que a segunda maior cidade do Iraque foi entregue aos terroristas sem que um tiro tivesse sido disparado. Por que, em todos esses anos, um plano de resgate de Mossul não foi aceito? Por que os EUA e a comunidade internacional não levam a sério a luta contra o Estado Islâmico" – frisou o político turco.

Em 16 de outubro de 2016, as Forças Armadas do Iraque, juntamente com outros grupos armados, que incluem as formações curdas peshmerga, iniciaram uma ofensiva contra Mossul, considerada uma das duas "capitais" do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em diversos países).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала