Estatal espacial russa quer alugar territórios na China

© Sputnik / Oleg Urusov / Abrir o banco de imagensLançamento do foguete portador russo Proton-M com satélite Intelsat-22
Lançamento do foguete portador russo Proton-M com satélite Intelsat-22 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A corporação espacial russa Roscosmos informou sobre os seus planos de alugar territórios chineses onde se prevê que partes de seus foguetes possam cair.

Lançamento de KSLV-1 - Sputnik Brasil
Roscosmos poderá participar nos preparativos do lançamento de foguete sul-coreano
Em particular, os foguetes cujos estágios, no processo normal de lançamento, podem cair ao território da China são o Proton-light e o Sunkar, segundo a informação divulgada pelo jornal russo Izvestiya nesta quinta-feira (22) 

O território em questão abrange uma área de cerca de 10.000 quilômetros quadrados e, segundo a publicação, o acordo russo-chinês a ser assinado prevê a evacuação de todos os civis da zona. 

Durante o lançamento dos foguetes russos, as partes exteriores da ogiva, que em média pesam cerca de 3 toneladas, se desprendem do foguete e caem em terra.

Especialistas russos sublinham que o possível acordo entre a China e a Rússia é um sinal de um alto nível de cooperação e estreito entendimento.

O Sol - Sputnik Brasil
Roscosmos planeja estudar proximidade imediata do Sol
É de lembrar também que atualmente a parte russa já aluga um território ao Cazaquistão, na fronteira com a região russa de Orenburgo, para garantir a segurança no lançamento de foguetes-portadores a partir do polígono de Dombarovsky. 

O prazo de exploração dos foguetes tipo Proton deverá terminar em 2025, e em vez deste, chegará o Sunkar de produção conjunta russo-cazaque. Os testes deste último estão previstos para 2024 e os lançamentos comerciais deverão começar em 2025. 

O novo foguete-portador, ao invés dos Proton, usará combustível ecológico.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала