Kiev propõe a Washington produção conjunta de armas letais

© Sputnik / Mikhail Palinchak / Abrir o banco de imagensPresidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, e presidente dos EUA, Barack Obama
Presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, e presidente dos EUA, Barack Obama - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O embaixador ucraniano nos EUA, Valery Chaly, espera que Washington aceite a sua ideia de produzir armas letais na Ucrânia.

"Sei que a questão das armas letais é muito sensível e, na verdade, não é abastecimento que é importante, mas dar um sinal <…> A minha ideia é produzir armas em cooperação com americanos no território ucraniano" – disse Valery Chaly no canal de televisão "112 Ucrânia".

Cristine Lagarde, diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) - Sputnik Brasil
O inverno está chegando: FMI vai salvar a Ucrânia?
O diplomata também expressou esperança de que os Estados Unidos "deem um sinal" em breve sobre o fornecimento  de armas letais à Ucrânia.

Os EUA apoiam militarmente Kiev mas só através do fornecimento de uniformes e equipamentos de proteção pessoal. Além disso, instrutores americanos treinam soldados da Guarda Nacional ucraniana.

O embaixador da Ucrânia em Washington também relatou à mídia que, neste ano, no orçamento norte-americano está previsto o maior montante de sempre de ajuda a Kiev – mais de US$ 600 milhões (R$ 2 bilhões). Destes, US$ 330 milhões (R$ 1 bilhão) serão gastos em segurança e defesa, e US$ 50 milhões (R$ 160 milhões) podem ser gastos em armas letais, mas não há ainda a respectiva decisão da Casa Branca.

Moscou tem alertado repetidamente os países ocidentais dos planos de fornecimento de armas para a Ucrânia, porque, segundo a posição oficial russa, este passo só vai levar a uma escalada do conflito em Donbass. A mesma opinião é compartilhada pela maioria dos políticos europeus.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала