Times: Obama só pode salvar sua imagem pública se fizer as pazes com Moscou

© AFP 2022 / POOL DE KREMLIN/ SERVIÇO PÚBLICO DO PRESIDENTEPresidente russo Vladimir Putin fala ao presidente norte-americano Barack Obama antes da sessão da APEC, Pequim, China, novembro de 2014
Presidente russo Vladimir Putin fala ao presidente norte-americano Barack Obama antes da sessão da APEC, Pequim, China, novembro de 2014 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Durante todo tempo da sua presidência, o presidente dos EUA Barack Obama não fez nada de notável, e o melhoramento das relações com a Rússia poderá ser sua última oportunidade de entrar na história, escreve o colunista do Times Roger Boyes.

Presidente norte-americano Barack Obama responde às questões durante a conferência de imprensa no Pentágono, 4 de agosto de 2016 - Sputnik Brasil
Obama duvida que possa confiar em Putin e na Rússia
Obama perdeu algum peso na política externa devido ao fato de ter estado por muito tempo ocioso e esperar ser avaliado segundo o critério de "guerras que ele conduziu". No entanto, esta abordagem levou ao fato de que a Líbia e a Síria se atolaram no caos. Agora, o presidente americano não é apenas um "pato manco", assim nos Estados Unidos chamam os presidentes que abandonam seu posto, mas ele é também um "pato depenado e preparado", observa o jornal Times.

Durante muito tempo Obama queria fazer com que sua política criasse dele uma imagem positiva nos manuais, no entanto, a situação atual no Oriente Médio mostra que o presidente não teve sucesso. O Irã, criando visibilidade do melhoramento nas relações com os EUA, apoia o presidente sírio, Bashar Assad. Além disso, Teerã deixou os russos usarem a base aérea de Hamadã para ataques contra combatentes jihadistas. Ancara, na época confiável aliado de Washington, a cada momento está alinhando mais com Moscou, observa o colunista.

"Obama deve abrir os olhos para o que ele criou: um novo eixo militar no Oriente Médio que está unido por seu desprezo por Washington", escreve o jornal.

Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA - Sputnik Brasil
EUA garantem segurança dos bombardeiros russos que voaram do Irã para a Síria
Ainda nos últimos meses de sua presidência, Obama pode salvar seu orgulho ferido e fazer as pazes com a Rússia. Como escreve o Times, os EUA poderiam abandonar a Ucrânia e a Rússia poderia deixar a Turquia. Mesmo se tal acordo não pareça muito conveniente, esta é sua última oportunidade de deixar uma marca notável na História como fez o ex-presidente dos EUA, Ronald Reagan, ao criar a base para o fim da Guerra Fria, conclui o autor do artigo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала