Mídia turca anuncia nova etapa na guerra com terrorismo

© Sputnik / Khaled AlkhatebMilitar do Exército sírio na província de Hama, Síria, agosto de 2016
Militar do Exército sírio na província de Hama, Síria, agosto de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Rússia, os Estados Unidos e a Turquia vão usar esforços conjuntos para eliminar o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) e para resolver a crise que dura já há vários anos, escreveu a jornalista Verda Ozer no jornal turco Hurriyet.

Segundo a jornalista turca, Moscou e Washington conseguiram chegar a um consenso sobre várias questões disputadas como, por exemplo, o destino do presidente sírio Bashar Assad.

A base aérea de Hamadã no território do Irã - Sputnik Brasil
New York Times: Washington causou erro estratégico na Síria
Por seu lado, a Rússia concordou em não alvejar os grupos que os EUA consideram como oposição moderada e vai convencer o presidente sírio a realizar negociações com estes grupos da oposição.

Anteriormente, a Turquia tinha sido radicalmente contra a presidência de Bashar Assad, ajudou os grupos radicais que tentaram derrubá-lo e instalar as leis da xaria na Síria. Mas esta política mudou radicalmente após que Binali Yildirim se tornou primeiro-ministro em vez de Ahmet Davutoglu.

O golpe militar fracassado que abalou a Turquia em meados de julho reforçou esta tendência.

Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos EUA - Sputnik Brasil
EUA garantem segurança dos bombardeiros russos que voaram do Irã para a Síria
Como resultado, Ancara vai contar com a abordagem de Moscou para resolver a crise síria. Além disso, a Turquia já esteve aparentemente pronta a cooperar com a Rússia e os EUA meses atrás. Este acordo fracassou quando Ancara abateu um caça russo Su-24 no norte da Síria, mas as relações entre Turquia e Rússia têm melhorado desde então, e ambos os países já indicaram que estão prontos para cooperar de novo na Síria, escreveu a jornalista.

As tensões entre a Turquia e os EUA poderiam ser um problema, mas Ozer sustentou que Washington está interessado em resolver a crise síria e que suas relações com Ancara irão se desenvolver em conformidade com este fim.

Na segunda-feira, Binali Yildirim disse que futura a estrutura política da Síria não será sectária e, como resultado, "Assad não vai ficar lá no longo prazo". Contudo, Yildirim não pediu por uma renúncia imediata de Assad.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала