Opinião: Alemanha enfrenta dupla ameaça terrorista

© REUTERS / Hannibal HanschkeGrupos de extrema-direita manifestam-se contra os refugiados na Alemanha
Grupos de extrema-direita manifestam-se contra os refugiados na Alemanha - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os nacionalistas alemães estão ganhando força, sendo capazes de perpetrar ataques terroristas contra a comunidade muçulmana no país em resposta à crise de imigração. É o que diz o cientista político, Alexander Rahr, em entrevista à agência Sputnik.

"Por um lado, existe a ameaça do terrorismo islâmico, que é parcialmente apoiado por organizações como a Al-Qaeda e o Daesh. Eles já criaram uma rede clandestina forte aqui", enfatiza o especialista alemão.

"Ao mesmo tempo, existe o perigo da aparição do terrorismo nacionalista como modo de resposta à agressão islamista, como foi precisamente o caso do homem iraniano que abriu fogo contra os turcos e não contra os alemães", destaca o especialista, se referindo aos acontecimentos de 22 de julho, quando um jovem de 18 anos disparou contra os visitantes de um centro comercial em Munique.

Polícia faz segurança em frente ao local do tiroteio, em Munique - Sputnik Brasil
Ataque de Munique estava sendo planejado há um ano
O nível crescente de agressão na sociedade alemã pode levar ao aumento da popularidade dos partidos de extrema direita como a eurocéptica Alternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em alemão).

"Por conta da atmosfera que temos aqui, os partidos de direita vão ganhando pontos a seu favor. Nas eleições locais de Berlim, que serão celebradas em 18 de setembro, a AfD pode ocupar o terceiro lugar. Consequentemente, dentro de um ano, nas eleições federais, pode se converter seguramente na terceira força", disse o cientista político. 

Uma recente pesquisa, realizada pela agência britânica ICM, revelou que os principais fatores da radicalização da política na Europa para 47% dos entrevistado é o elevado número de imigrantes; para 46% é a violação de promessas políticas e a desilusão com a União Europeia foi a resposta de 38% dos entrevistados.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала