Especialistas: EUA não têm outra opção senão cooperar com Rússia

© Sputnik / Valery Melnikov / Abrir o banco de imagensO bairro al-Hamidiya, da cidade de Homs
O bairro al-Hamidiya, da cidade de Homs - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um artigo analítico do jornal National Interest sugere que, para resolver a atual situação de crise na Síria, os Estados Unidos não têm outra opção senão cooperar mais estreitamente com a Rússia.

Outros especialistas desta publicação admitem que os EUA não têm suas próprias variantes de resolução da crise síria.

"Quer nós gostemos ou não da forma como Moscou conduziu a sua campanha síria, a verdade é  que os russos no atual conflito têm mais influência nas relações com o regime de Assad do que os Estados Unidos jamais tiveram", diz-se o artigo da National Interest.

Fighters of the Manbij Military Council and the Syrian Democratic Forces gather in the southern rural area of Manbij, in Aleppo Governorate, Syria. file photo - Sputnik Brasil
Ativistas acusam coalizão americana de matar mais 15 civis na Síria
A este respeito a publicação lembra que a mídia já tinha informado que os EUA podem propor à Rússia a criação de um novo centro de coordenação da campanha aérea contra o grupo terrorista Frente al-Nusra no Oriente Médio na condição de Moscou, em resposta, convencer o presidente sírio Bashar Assad a diminuir o número de ataques aéreos contra os grupos que não aderiram ao cessar-fogo.

Parece que a decisão de aumentar os contatos bilaterais com a Rússia foi tomada pela administração de Obama como última tentativa de salvaguardar o que resta da política externa dos EUA para o Oriente Médio.

Militares russos preparam drones pequenos Zastava para realizar missões dutante exercícios militares na região de Primorie, Rússia - Sputnik Brasil
Rússia testou drones movidos a hidrogênio na Síria
Ao mesmo tempo, semelhantes sugestões enfrentam muita oposição de altos funcionários no Pentágono, Departamento de Estado e Serviços de Inteligência, notou o autor do artigo, Daniel R. De Petris.

Resumindo, a iniciativa de cooperar mais com a parte russa pode não obter apoio e não ser implementada, mas, caso Obama decida começar a discussão mais ampla sobre a paz na Síria (proposta pela Rússia já mais de um ano atrás), ele não perderá nada. Especialmente tendo em conta que a política de ignorar ou mesmo isolar a Rússia não deu frutos nem levou a quaisquer progressos, nota o periódico.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала