Assédio da delegacia em Erevan continua: radicais recusam depor armas

Nos siga noTelegram
O Serviço de Segurança Nacional da Armênia relata que os militantes que capturaram uma delegacia em Erevan recusam se render.

Um grupo armado da oposição tomou na manhã de domingo (17) uma delegacia com o pessoal e exige a renúncia das autoridades armênias. - Sputnik Brasil
Delegacia em Erevan tomada por grupo armado
Um grupo armado da oposição tomou na manhã de domingo (17) uma delegacia com o pessoal em seu interior. Entre os reféns está o vice-chefe da polícia de Erevan Vardan Egiazaryan e o vice-chefe do Ministério do Interior de Erevan Valery Osipyan. Segundo a informação mais recente do Serviço de Segurança Nacional armênio, as forças especiais libertaram dois reféns – um policial e um motorista de ambulância. Durante a publicação deste artigo foi liberado mais um refém, relata o serviço de imprensa das forças especiais.

Durante a operação, um policial foi morto e dois ficaram feridos. O Serviço de Segurança informa que as forças de segurança estão realizando negociações com os militantes.

"O grupo armado recusa liberar outros reféns, incluindo os policiais de alta patente, depor as armas e se render", relata o Serviço de Segurança Nacional da Armênia.

O Serviço também anunciou que os militantes têm muitas armas disponíveis.

Os radicais exigem a liberação de Zhirair Sefilyan, que foi preso em junho e acusado de organizar um grupo criminoso, e declararam sua "intenção de mudar a situação na Armênia por meio de uma rebelião armada". Sefilyan planejara ocupar vários edifícios e instalações de telecomunicações, incluindo a Torre da televisão em Yerevan.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала