Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

ONU entrega segurança à Libéria

© AP Photo / Ben CurtisUm grupo de soldados do exército liberiano guardam a ponte de São Paulo em Monrovia, capital da Libéria, em 29 de junho de 2003, pouco antes do fim da guerra civil
Um grupo de soldados do exército liberiano guardam a ponte de São Paulo em Monrovia, capital da Libéria, em 29 de junho de 2003, pouco antes do fim da guerra civil - Sputnik Brasil
Nos siga no
13 anos depois do fim da guerra civil, as forças de paz das Nações Unidas abandonam finalmente a Libéria.

De acordo com um comunicado divulgado pela ONU ontem (30), a segurança nacional passa ao controle total das forças de segurança locais.

Na quinta-feira, o secretário-geral da ONU homenageou a "determinação do povo e do governo da Libéria para trabalhar pela paz duradoura depois do fim do conflito, que acarretou a implantação da missão da ONU conhecida pela sigla UNMIL, em outubro de 2003".

Além da UNMIL, participaram também da pacificação parceiros como a ECOWAS (Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental), a União Africana (UA) e a União do Rio Mano.

© AP Photo / Rebecca BlackwellUm grupo de soldados nigerianos da missão da ONU, UNMIL, e de policiais liberianos perseguem um comandante d apolícia da Libéria que tinha disparado contra manifestantes da oposição em 7 de novembro de 2011, na véspera das eleições presidenciais no país
Um grupo de soldados nigerianos da missão da ONU, UNMIL, e de policiais liberianos perseguem um comandante d apolícia da Libéria que tinha disparado contra manifestantes da oposição em 7 de novembro de 2011, na véspera das eleições presidenciais no país - Sputnik Brasil
Um grupo de soldados nigerianos da missão da ONU, UNMIL, e de policiais liberianos perseguem um comandante d apolícia da Libéria que tinha disparado contra manifestantes da oposição em 7 de novembro de 2011, na véspera das eleições presidenciais no país

A missão pacificadora foi desafiada pelo surto de ebola em 2011. Apesar do fim da epidemia, declarado pela Organização Mundial da Saúde, o ebola permanece um problema importante na região.

© AP Photo / Abbas DullehUm homem liberiano participa da cerimônia tradicional de homenagem pelas pessoas mortas da doença provocada pelo vírus ebola, em 7 de março de 2015, na capital da Libéria; cerimônias tradicionais têm sido muito criticadas pela comunidade internacional por favorecer contágio
Um homem liberiano participa da cerimônia tradicional de homenagem pelas pessoas mortas da doença provocada pelo vírus ebola, em 7 de março de 2015, na capital da Libéria; cerimônias tradicionais têm sido muito criticadas pela comunidade internacional por favorecer contágio - Sputnik Brasil
Um homem liberiano participa da cerimônia tradicional de homenagem pelas pessoas mortas da doença provocada pelo vírus ebola, em 7 de março de 2015, na capital da Libéria; cerimônias tradicionais têm sido muito criticadas pela comunidade internacional por favorecer contágio

A transferência das competências de segurança para forças nacionais liberianas não quer dizer que as tropas da ONU saiam completamente da Libéria. 1.240 militares e 606 policiais das Nações Unidas permanecerão, com funções auxiliares. Os detalhes desta presença foram estabelecidos na resolução 2239 da ONU, emitida em 2015. A presença será mantida pelo menos até 15 de dezembro de 2016, depois será tomada uma decisão sobre o seu prolongamento ou não.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала