De novo: Polônia discute sistema de defesa aérea com OTAN

© AP Photo / Marek LisSistema de mísseis Patriot, fornecido pelos EUA, é estacionado em uma base militar da cidade polonesa de Morąg
Sistema de mísseis Patriot, fornecido pelos EUA, é estacionado em uma base militar da cidade polonesa de Morąg - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Polônia e os países bálticos estão discutindo um sistema de defesa aérea conjunta.

Os Estados bálticos estão discutindo possíveis sistemas conjuntos de defesa com fabricantes de armas e a OTAN. A respectiva informação foi divulgada pela mídia polonesa.

"Nós estamos discutindo agora com os estonianos, letões e poloneses sobre como podemos criar um sistema de defesa aérea regional," disse o ministro da Defesa lituano Juozas Olekas citado pelo jornal Financial Times.

Soldiers park their amphibious vehicles on a ship as they participate in a massive amphibious landing during NATO sea exercises BALTOPS 2015 that are to reassure the Baltic Sea region allies in the face of a resurgent Russia, in Ustka, Poland, Wednesday, June 17, 2015 - Sputnik Brasil
OTAN mostra músculos: alvo principal de Anakonda é Oriente Médio, não a Rússia
Ele sublinhou que a criação de um sistema deste tipo está sendo ativamente discutida com a Aliança Atlântica, com a qual os países bálticos e a Polônia já têm uma história significativa de cooperação militar.

Os recentes exercícios militares realizados pela OTAN na Polônia, perto da fronteira com a Rússia foram analisados por várias especialistas militares e discutidos na mídia. Foi também comentada na imprensa a iniciativa das autoridades polonesas de incentivar os cidadãos a participar de festividades relacionadas com a OTAN e de ministrar aos jovens aulas sobre a instalação de bases militares da aliança no seu país.

Vista do Kremlin de Moscou - Sputnik Brasil
Escudo antimísseis é para 'conter influência russa'
A escala e o aumento da presença militar da OTAN no Leste da Europa são tema para discussão já por muito tempo. Cabe lembrar que a aliança tem aumentado a sua presença militar na Europa, em particular nos países da Europa Oriental fronteiriços da Rússia,  desde 2014, usando a alegada interferência da Rússia no conflito ucraniano como pretexto.

Moscou avisou repetidamente a OTAN que ações provocativas, inclusive a realização de exercícios perto das fronteiras russas, podem afetar a estabilidade regional e global.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала